Médico africano morre com ebola nos EUA

Veja a matéria completa sobre Médico africano morre com ebola nos EUA e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.

Reuters

Um cirurgião de Serra Leoa morreu com ebola em um hospital do estado norte-americano de Nebraska, para onde foi levado para receber tratamento após chegar da África Ocidental no fim de semana, informou o hospital, nesta segunda-feira (17).

Reuters

O médico Martin Salia, que possui residência permanente nos Estados Unidos, contraiu o vírus enquanto trabalhava em um hospital de Freetown, de acordo com seus familiares.

Leia mais:
Médico infectado por ebola está em estado extremamente crítico, diz testemunha
Vírus que matou mais que 1ª Guerra deixou lições para combate a ebola

Salia já sofria de sintomas avançados da doença, incluindo deficiências renal e respiratória, ao dar entrada no Centro Médico de Nebraska, no sábado (15), disse o hospital em comunicado.

Representantes do hospital disseram anteriormente que o estado de saúde do paciente já era grave quando ele foi transportado da África Ocidental para os Estados Unidos.

Veja algumas das vítimas do ebola de fora da África:

Segunda enfermeira infectada no Texas (EUA), Amber Vinson, de 29 anos, viajou de avião um dia antes de apresentar sintomas. Foto: ReproduçãoNina Pham foi a primeira pessoa a ser contaminada nos EUA. Foto: ReproduçãoO primeiro paciente diagnosticado com ebola nos EUA, Tomas Eric Duncan, em foto tirada em 2011 em um casamento em Gana. Foto: APO médico americano Brantly sobreviveu após tomar remédio experimental. Foto: DivulgaçãoA missionária Nancy Writebol e o médico Kent Brantly, que está ao lado de sua mulher, Amber. Foto: Samaritan's Purse/AP E Courtesy Jeremy Writebol/AP Enfermeira espanhola, que contraiu o vírus ao cuidar de um padre infectado, continua em estado grave. Foto: APMissionário espanhol Miguel Pajares contraiu ebola na Libéria e morreu na Espanha em 12 de agosto. Foto: APClínica São Jorge, em Leipzig, Alemanha, onde funcionário da ONU morreu depois de ter contraído ebola na Libéria. Foto: AP

“O doutor Salia estava em estado extremamente crítico quando chegou aqui, e infelizmente, apesar de nossos esforços, não conseguimos salvá-lo”, disse em comunicado Phil Smith, diretor-médico da unidade de isolamento biológico do Centro Médico de Nebraska.

Leia também:
Ebola ‘é o maior desafio de saúde pública desde surgimento da Aids’
Mundo está mal preparado para emergências sanitárias, diz diretora da OMS
OMS prevê 5 mil novos casos de ebola por semana em dezembro

Salia, 44 anos, foi o terceiro paciente com ebola a ser tratado no hospital de Nebraska e o décimo caso conhecido do vírus nos Estados Unidos.

O atual surto do vírus é o mais grave já registrado e já matou ao menos de 5.177 pessoas, a maior parte em Serra Leoa, Libéria e Guiné, de acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O artigo Médico africano morre com ebola nos EUA foi originalmente publicado em http://ig.saude.feedsportal.com/c/33518/f/637141/s/40929333/sc/14/l/0Lsaude0Big0N0Bbr0C20A140E110E170Cmedico0Eafricano0Emorre0Ecom0Eebola0Enos0Eeua0Bhtml/story01.htm

Deixe uma resposta