Inatividade mata mais do que obesidade, indica pesquisa britânica

Veja a matéria completa sobre Inatividade mata mais do que obesidade, indica pesquisa britânica e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.

BBC

Gordinho ativos têm menos chances de morte precoce do que inativos de qualquer peso
Thinkstock/Getty Images

A falta de exercício pode estar matando o dobro de pessoas se comparada à obesidade, sugere um estudo feito por 12 anos, que incluiu mais de 300 mil pessoas na Europa.

Pesquisadores da Universidade de Cambridge registraram cerca de 676 mil mortes por ano por inatividade, contra 337 mil por conta de excesso de peso.

Eles concluíram que pelo menos 20 minutos diários de caminhada rápida poderiam gerar benefícios substanciais.

Especialistas afirmam, ainda, que exercício físico é benéfico para pessoas de qualquer peso.

Obesidade e sedentarismo, muitas vezes andam de mãos dadas. No entanto, sabe-se que as pessoas mais magras têm um maior risco de problemas de saúde se forem inativas. E as pessoas obesas que se exercitam têm melhores condições de saúde do que pessoas inativas.

O estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, tenta trazer à tona os perigos da inatividade e da obesidade.

Inatividade mata

Os pesquisadores acompanharam 334.161 europeus por 12 anos. Eles avaliaram os níveis de exercício e a circunferência das cinturas a cada morte.

“O maior risco (de morte precoce) está associado aos classificados como inativos, sejam com peso normal, sobrepeso ou obesidade”, disse às BBC News Ulf Ekelund, um des pesquisadores envolvidos no estudo.

Veja dicas de como inserir atividade física na rotina diária:

Escada: Substitua o elevador pela escada. Já é um passo em direção contrária ao sedentarismo. Foto: Getty ImagesTeve uma pausa no trabalho? Não traga um café para a mesa. Saia com ele por uns 10 minutos para fazer uma caminhada. Foto: Thinkstock/Getty ImagesCaminhe: reserve alguns minutinhos para fazer uma caminhada pela rua, ou até mesmo dentro da empresa. Desça dois andares e depois suba de escada. Foto: Getty ImagesNão delegue mais atividades, procure fazer algum tipo de exercício dentro de casa, como uma faxina. Foto: Thinkstock/Getty ImagesQuando for fazer pequenas compras, que tal deixar o carro em casa e ir de bicicleta?. Foto: Thinkstock/Getty ImagesAo invés de deixar o carro no lava-rápido, que tal lavar o carro em casa mesmo? Algumas calorias certamente irão embora e você fará atividade física. Foto: Thinkstock/Getty ImagesSeja diferente da maioria: prefira escadas fixas às rolantes. Uma pequena atitude já contribui para fugir do sedentarismo. Foto: Thinkstock/Getty ImagesEstacione o carro um pouco mais distante do local em que você precisa descer. Com isso, você fará uma caminhada a mais. Foto: Thinkstock/Getty ImagesDeixe a secadora descansar alguns dias, estenda a roupa no varal. Pequenas atitudes já entram como atividade física do dia a dia. Foto: Thinkstock/Getty ImagesPasseie com seu cão e, quando ele quiser correr, tente acompanhá-lo por alguns minutos. Foto: Getty Images

Ekelund afirma que eliminar a inatividade na Europa cortaria as taxas de mortalidade em cerca de 7,5%, ou 676 mil mortes, mas eliminar a obesidade reduziria a mortalidade em apenas 3,6%.

“Mas não acho que seja caso de um ou outro. Nós também devemos nos esforçar para reduzir a obesidade, e a atividade física deve ser reconhecida como uma estratégia muito importante de saúde pública”, acrescentou Ekelund.

Ekelund, que faz pelo menos cinco horas de exercício vigoroso toda semana, afirma que uma caminahada rápida todo dia é suficiente para transformar a saúde.

“Vinte minutos de atividade física, o equivalente a uma caminhada rápida, é algo possível de incluir em qualquer trajeto para o trabalho, ou em intervalos de almoço, ou à noite, em vez de assistir TV”, sugere.

Os males causados por inatividade e obesidade são, em grande parte, os mesmos, como doença cardiovascular. No entanto, a diabetes tipo 2 é mais comum entre os obesos.

Leia mais notícias de saúde

O artigo Inatividade mata mais do que obesidade, indica pesquisa britânica foi originalmente publicado em http://ig.saude.feedsportal.com/c/33518/f/637141/s/4259f707/sc/14/l/0Lsaude0Big0N0Bbr0Cminhasaude0C20A150E0A10E150Cinatividade0Emata0Emais0Edo0Eque0Eobesidade0Eindica0Epesquisa0Bhtml/story01.htm

Deixe uma resposta