Conheça os benefícios do óleo de amendoim – em Nutrição

Supernutritivo, saudável e leve, ele ainda dá aquela forcinha para deixar você ainda mais bela (e magra)

Por Patrícia Affonso/ Adaptação Rebecca Nogueira Cesar



óleo de amendoim

O óleo de amendoim é nutritivo, saudável e leve

Foto: Fábio Mangabeira

Quem está em plena batalha para entrar em forma costuma evitar ao máximo o consumo de gorduras. Acontece que esse nutriente ocupa uma posição de destaque na lista de inimigos do corpo sarado e sempre é relacionado aos indesejáveis pneuzinhos na região da cintura. Não dá para negar que, em excesso, ela causa esse efeito mesmo. No entanto, se engana quem acredita que o ideal é riscá-la completamente do cardápio. Importante fonte de energia, ela desempenha papéis fundamentais na formação de células, hormônios e enzimas do nosso organismo. E não para por aí: se utilizada de forma correta, faz bem à saúde, protege a pele e ainda ajuda a esculpir a silhueta. O segredo está na escolha. Depois do boom do azeite de oliva — que virou o queridinho dos médicos e nutricionistas graças à sua gama de propriedades funcionais —, outro produto vem atraindo os holofotes na área da gastronomia saudável. A bola da vez, dizem os especialistas, é o óleo de amendoim — um alimento de alto valor nutritivo, muito apreciado na Europa. Mas não pense que se trata de uma novidade em terras brasileiras. “Há algumas décadas, o consumo do óleo de amendoim era bastante comum no País. Porém, como sua produção e distribuição eram caras, ele perdeu muito espaço para concorrentes como o óleo de soja”, esclarece Alessandra Paula Nunes, nutricionista mestre em Ciências Aplicadas à Cardiologia (SP).

Bate forte, coração e faz bem para a pele

As principais fontes nutritivas do óleo de amendoim são os ácidos graxos mono e poli-insaturados, as famosas gorduras do bem. De origem vegetal, elas ajudam a diminuir os níveis de LDL — o colesterol ruim —, principal inimigo do coração. “Esses nutrientes atuam contra as placas de gorduras e, assim, diminuem o risco de pressão alta, acidente vascular cerebral (AVC) e infarto”, diz a nutricionista Lilian Selerges (SPSP). Quem não abre mão das outras versões pode revezar o consumo para obter os benefícios. Segundo um estudo realizado pela Universidade do Estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, substituindo-se 50% do uso de óleo de soja, milho ou das gorduras de origem animal pelo óleo de amendoim é possível reduzir significativamente a produção do mau colesterol. Mas não é só para o coração que o alimento age como um bálsamo. “Os ácidos graxos poli-insaturados, especialmente o ômega-6, têm papel fundamental na coagulação, prevenindo hemorragias, diminuindo a incidência de doenças neurológicas, protegendo a pele e ainda estimulando o sistema imunológico”, lista Alessandra Nunes.

Pode vir quente que ele está fervendo


Com cor amarelo-clara, sabor e odor suaves, esse óleo não absorve o sabor dos alimentos, tampouco transfere seu gosto. Por isso, agrada aos paladares mais refinados e exigentes e é recomendado para as mais variadas receitas: saladas, cozidos, frituras. “Dá para usar até como margarina”, sugere Lilian Selerges.Quando o assunto é perder peso, todo mundo sabe que os alimentos fritos devem ser evitados. Porém, se não houver jeito, a opção mais saudável é usar o óleo de amendoim. Acontece que para fritar os alimentos é preciso submeter o óleo a altas temperaturas. Em contato com o ar, essa gordura passa pelo processo de oxidação, que causa degradação, perda de nutrientes e formação de substâncias nocivas ao organismo. Enquanto outros óleos de cozinha começam a se degradar a uma temperatura de 180ºC, o óleo de amendoim suporta até 220ºC, garantindo maior conservação dos nutrientes. “Por isso, para os pratos quentes, ele é uma opção melhor que o azeite”, avalia Ana Carolina M. Gagliardi Miguel, doutora em cardiologia pelo Instituto do Coração — InCor (SP ).

Gotinhas anti-idade e pró-leveza

Outro destaque deste óleo de amendoim é a presença de vitamina E, nutriente com alto poder antioxidante que fortalece as células e combate o envelhecimento precoce. “Essa vitamina favorece os processos anti-inflamatórios, a cicatrização e age na regeneração dos tecidos. O resultado é uma pele muito mais bonita”, salienta Alessandra Nunes. E sabe quando a gente come algo mais pesado, que causa mal-estar e a impresão de que a barriga está estufada, levando muita gente a desabotoar um pouco a calça? Com o óleo de amendoim, você se livra desse incômodo. “Ele possui fácil digestão e, por isso, é recomendado para pessoas com problemas no aparelho digestório”, completa a nutricionista. Quem se animou com o alívio no abdome vai gostar de saber também que o alimento tem 28% de proteínas em sua composição, é uma boa fonte energética e que ativa o metabolismo. Isso vai deixá-la no pique total.

Na dose certa traz muitos benefícios

Apesar de essenciais à saúde, as gorduras devem ser consumidas com moderação, especialmente por quem deseja perder peso. A recomendação é de que o consumo diário do óleo de amendoim seja de uma porção, que equivale a uma colher (sopa) ou 12 gramas. Essa quantidade contabiliza 108 calorias. Mas fique esperta! Não é só com esse produto que você deve ter controle. Não se esqueça de outras fontes de gordura, como carne, leite, derivados e o óleo em outras versões.“Para compor uma alimentação saudável, as fontes de gordura não devem ultrapassar 30% do valor calórico do cardápio”, alerta Ana Carolina Miguel.

O artigo Conheça os benefícios do óleo de amendoim – em Nutrição
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/nutricao/conheca-os-beneficios-do-oleo-de-amendoim/3977

Deixe uma resposta