Boticário Aposta na Classe C com a Marca “Quem Disse, Berenice?”

A matéria Boticário Aposta na Classe C com a Marca “Quem Disse, Berenice?”
você lê em detalhes aqui, ou confira mais notícias sobre Moda, Saúde e Beleza em Produtos de Beleza.


Os hábitos do consumidor brasileiro dá assunto para tese, mais precisamente os hábitos da consumidora brasileira. Eu o digo, pois lido com empresas internacionais e eles sempre se dizem fascinados pelo mercado brasileiro e sua força descomunal.

Brasileiros parecem ter uma sede de consumo ainda maior do que os americanos, que levam a fama de frívolos consumistas desenfreados. Hoje, os brasileiros lideram em consumo no exterior, saindo na frente dos japoneses que lideraram como os turistas que mais compravam nos últimos 20 anos.

Dos países emergentes, o Brasil sai muito na frente em gastos com cosméticos. Brasileiras gastam em média $500 Reais em cosméticos por ano, bem mais do que as chinesas que gastam apenas cerca de $40 reais por ano em produtos de beleza. Em termos de gastos com cosméticos per capita o Brasil quase se iguala a países desenvolvidos, como os EUA e o Reino Unido.

O resto do mundo está de olho nesse tremendo potencial consumista e é por isso que marcas gringas de cosméticos estão investindo pesado no Brasil. As marcas brasileiras estão tendo que correr atrás de todos os possíveis segmentos do mercado para poderem competir. O Boticário resolveu apostar na emergente Classe C, que aumenta seu poder de consumo a cada dia, ao lançar a marca Quem Disse, Berenice.

O conceito da marca visa em mostrar que na maquiagem não existe certo ou errado, em reforçar a quebra de regras e convidar as clientes a experimentar os produtos através da tentativa e erro: “Na maquiagem não tem certo ou errado, só a vontade de ficar mais bonita”. Por isso o nome da marca e loja: Quem disse que não pode? Quem disse que usar brilho de dia é cafona? Quem disse que misturar cores vibrantes na maquiagem é brega? Quem disse, Berenice?

O nome estilo bordão é engraçadinho, simples e fica na mente. Os preços dos produtos são mais acessíveis, mas não exatamente baratos, afinal brasileiros associam preços baixos com qualidade baixa, então os preços acabam sendo em média mais altos por pura estratégia de marketing – os esmaltes vão custar a partir de R$ 9,90, os batons de R$ 17,90 e as sombras a partir de R$ 21,90, e há também maior variedade em tons de base, brilhos, cores e texturas.

Não dá para não relacionar esta nova marca com as Empreguetes e os looks espalhafatosos da Chayene da novela Cheias de Charme, que faz sucesso entre todas as classes sociais, mas tem a Classe C como um dos temas centrais da trama. O Boticário não faz nenhuma alusão à novela global ou sequer a Classe C ao falar da marca Quem Disse, Berenice, mas eu vejo a nova marca como uma força positiva que contribui para esse movimento de maior inclusão por qual o Brasil passa que, quem sabe, trará maior igualdade para o nosso país.

O artigo Boticário Aposta na Classe C com a Marca “Quem Disse, Berenice?”
foi originalmente publicado em http://www.produtosdebeleza.com/boticario-aposta-na-classe-c-com-a-marca-quem-disse-berenice.html

Deixe uma resposta