Vacinação contra febre amarela será ampliada para 190 cidades em São Paulo

Veja a matéria completa sobre Vacinação contra febre amarela será ampliada para 190 cidades em São Paulo e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Vacina contra febre amarela passará a ser administrada em todas as cidades de São Paulo

Rovena Rosa/Agência Brasil

A partir desta segunda-feira (18) 190 cidades do Estado de São Paulo serão incluídas no mapa de recomendação de imunização contra a febre amarela. A informação é da Secretaria Estadual da Saúde, que vai ampliar a vacinação para municípios do Grande ABC, Vale do Paraíba e Baixada Santista.

Leia também: Campanha de vacinação contra febre amarela será estendida até dia 30 em SP

Segundo a pasta, essas cidades receberão a vacina contra febre amarela
fracionada. Com a ampliação, todas as cidades paulistas oferecerão a vacina.

Nos últimos meses, a média mensal de casos diminuiu 75%, de acordo com o balanço de maio. No entanto, a ocorrência de mortes e adoecimento de macacos recente mostra que o vírus ainda circula no estado de São Paulo.

Com a chegada das férias escolares, o alerta para quem ainda não se vacinou e pretende viajar foi reforçado. A vacina deve ser tomada com dez dias de antecedência para a total proteção.

A secretaria anunciou que entre 14 de maio e 15 de junho, foram registrados 36 casos e 19 óbitos por febre amarela. Desde janeiro de 2017, foram confirmados 561 casos autóctones de febre amarela silvestre, sendo que 214 resultaram em óbito.

A maior parte dos casos foi contraída em Mairiporã (31,5%) e em Atibaia (10,2%), cidades que tiveram campanha de vacinação
intensificada em 2017.

Desde julho do ano passado, foram confirmados 760 macacos infectados pela doença. As regiões com maior concentração foram a Grande São Paulo (47%) e Campinas (33%). Em 2018, 7,5 milhões de pessoas foram vacinadas no estado, número que supera as doses aplicadas em 2017, quando 7,4 milhões de pessoas receberam a imunização. Entre 2006 e 2016, 7 milhões de pessoas foram vacinadas.

De acordo com a secretaria, desde o ano passado, 23 milhões de doses foram enviadas para os postos de saúde paulistas, sendo 55% desse total somente nos cinco primeiros meses deste ano.

Leia também: OMS recomenda vacina da febre amarela para estrangeiros que vão para o Sul

Tira-dúvidas


Vacina contra febre amarela protege 90% dos vacinados no 10º dia e mais de 99% após quatro semanas da administração da dose

Rovena Rosa/Agência Brasil 25.01.2018

  • A vacina é segura?

Sim. Ela estimula a produção de uma reposta imune que constitui a defesa necessária contra a febre amarela com detecção de anticorpos neutralizantes em 90% dos vacinados já no 10º dia e em mais de 99% após quatro semanas da vacinação.

  • Quem deve se vacinar?

Receberão a vacina crianças a partir de 9 meses de idade até adultos com 59 anos de idade. Pessoas com 60 anos de idade ou mais só devem receber a dose se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da doença.

Pessoas deste grupo etário deverão ser avaliadas antes da realização da vacinação. Gestantes (em qualquer idade gestacional) e mulheres amamentando só devem ser vacinadas se residirem em local próximo ao que ocorreu a confirmação de circulação do vírus (presença da doença em animais, em humanos e presença de vetores na área afetada).

Mulheres que estiverem amamentando, caso tenham que ser vacinadas, recomenda-se suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação, nos casos de lactentes menores de 6 meses de idade. A idade mínima para vacinação fica sendo a de 9 meses de idade.

“Enfatizamos que, de acordo com as novas recomendações, as pessoas que já receberam uma dose da vacina anteriormente são consideradas vacinadas, não havendo necessidade de novas doses”, informa a SBD-A.

  • Quem não pode se vacinar?

– Pessoas com histórico de reação anafilática – reação alérgica grave e imediata -, relacionada a substâncias presentes na vacina, como ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina, etc; 

– Bebês com idade abaixo de 6 meses;

– Pessoas com doenças que comprometam a imunidade, como infecção por HIV sintomática, disfunções do timo associadas com função imune alterada, Imunodeficiências primárias, câncer, pacientes em terapêutica imunodepressora: quimioterapia, radioterapia, corticóide em doses elevadas.  

  • Quais são os efeitos colaterais da vacina?

A SBD-A alerta que é possível perceber que em 4% dos adultos observam-se efeitos como dores no local da aplicação, com duração de um ou dois dias, geralmente de intensidade leve a moderada. Manifestações como febre, dor de cabeça e muscular também são raras, apenas 4% dos vacinados pela primeira vez e menos de 2% para quem toma a segunda dose.

  • Quanto tempo demora para fazer efeito?

O Ministério da Saúde recomenda que a vacina seja administrada pelo menos 10 dias antes do deslocamento para áreas de risco, principalmente, para os indivíduos que são vacinados pela primeira vez.

  • Qual a diferença entre dose fracionada e dose padrão?

O Ministério da Saúde afirmou que a dose fracionada tem mostrado a mesma proteção que a dose padrão. Segundo a pasta, a única diferença está no volume: a dose padrão tem 0,5 Ml, enquanto a dose fracionada tem 0,1 Ml. É isso que faz com que o tempo de duração da proteção seja diferente.

Atualmente, o Ministério da Saúde utiliza a dose padrão da vacina de febre amarela. Porém, em alguns estados serão adotadas as doses fracionadas, que representam 1/5 da dose padrão. Um frasco com 5 doses da vacina de febre amarela, por exemplo, pode vacinar 25 pessoas e um frasco com 10 doses pode vacinar 50 pessoas.

No início de janeiro deste ano o Ministério da Saúde anunciou que 75 municípios de São Paulo, do Rio de Janeiro e da Bahia irão adotar campanhas de vacinação contra a febre amarela com doses fracionadas . A decisão, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, foi tomada mediante recomendação e autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS).

  • Por quanto tempo a vacina fracionada protege? E a dose padrão?

A dose padrão protege por toda a vida, enquanto a dose fracionada protege por pelo menos oito anos, segundo estudo realizado pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos/Fiocruz).

  • Quem já tomou a vacina contra a febre amarela deve se vacinar novamente?

Não. Uma dose já é o suficiente para proteger por toda a vida. Mesmo quem tomou uma dose há mais de dez anos e foi orientado a tomar uma dose de reforço depois desse período.

O Ministério da Saúde esclarece que desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Apenas crianças de 9 meses a 5 anos de idade que já receberam a dose devem receber o reforço após os 5 anos.

  • Além da vacina, quais outras formas de evitar a febre amarela?

Existem algumas condutas que podem e devem ser adotadas pela população para se proteger, como o uso de repelentes, mosquiteiros e roupas de mangas compridas que são métodos relevantes e eficazes para controlar a proliferação da febre amarela.

Em relação aos repelentes, produtos contendo DEET, Icaridina ou IR3535 oferecem proteção contra picadas de mosquitos incluindo o Aedes aegypti, com eficácia e duração de ação variadas e indicações específicas contra febre amarela
.

Leia também: Agentes investigam origem do surto de toxoplasmose no Rio Grande do Sul

O artigo Vacinação contra febre amarela será ampliada para 190 cidades em São Paulo foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/minhasaude/2018-06-18/febre-amarela-ampliacao-vacinacao.html

Deixe uma resposta