Tire 7 dúvidas sobre a mamografia – em Mulher de Corpo

A melhor forma de se obter o diagnóstico do câncer de mama é por meio da mamografia.
Saiba mais sobre o exame

Texto Ana Paula Ferreira | Foto Shutterstock



A mamografia é a melhor forma de diagnosticar o câncer de mama

Foto Shutterstock

O câncer de mama é o mais frequente e mata mais mulheres do que qualquer outro tipo da doença na América Latina, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), do Ministério da Saúde. Contudo, se for detectado precocemente, a paciente tem 95% de chances de cura.

A melhor forma de ter o diagnóstico da doença é através da mamografia, exame de imagem que ajuda a detectar alterações nas mamas. “Com a realização cada vez mais frequente da mamografia, tem-se diagnosticado o câncer de mama em fases mais precoce, aumentando assim a chance de cura da paciente”, explica Daniela Setti, ginecologista e mastologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, de São Paulo.

Porém, seja por falta de informações claras, por medo de sentir dor durante o procedimento ou por receio do diagnóstico, muitas mulheres ainda deixam de realizar o teste. Para esclarecer algumas questões, confira a seguir 7 dúvidas sobre o assunto!

1. Sou muito jovem para fazer o exame? Qual é a idade mínima?

A mamografia é um exame de diagnóstico por imagem, que tem como finalidade estudar o tecido mamário. Esse tipo de exame pode detectar nódulos mesmo que ainda não sejam palpáveis. “O rastreamento consiste em realizar mamografia anual em mulheres com 40 anos ou mais”, explica Daniela. Para mulheres com histórico familiar, a mamografia deve ser feita anualmente a partir dos 35 anos de idade.


2. Ninguém da minha família teve câncer de mama. Devo me preocupar mesmo assim? 

Segundo a especialista, a maioria das mulheres que tem câncer de mama não tem histórico familiar da doença. Portanto, mesmo assim o rastreamento mamográfico deve ser feito de qualquer maneira.

3. A radiação da mamografia é arriscada?  

A mamografia utiliza raios-X para formar a imagem da mama. O risco associado à exposição à radiação é mínimo, principalmente quando comparado com o benefício.

4. A mamografia dói?

A mamografia é um exame muito rápido. Pode provocar dor em algumas mulheres, dependendo da sensibilidade individual, mas é tolerável. O desconforto provocado pelo exame é breve. De acordo com Daniela, algumas dicas podem ajudar: agende seus exames quando suas mamas estiverem menos sensíveis, ou seja, após o período menstrual; tome um analgésico antes do exame para aliviar a dor.

5. Não tenho nódulos na mama. Mesmo assim tenho de fazer mamografia?

Com o exame é possível detectar nódulos bem pequenos, que não são palpáveis. Os tumores em estágio inicial, com diagnóstico precoce, têm chance de até 95% de cura. Daí a importância da realização do exame. 

6. Tenho seios muito densos. O autoexame é suficiente para mim?

O autoexame deve ser realizado mensalmente, logo após o período menstrual, mas não é suficiente. Caso a mulher note qualquer alteração nas mamas, deverá procurar o médico imediatamente. “As mulheres que não menstruam devem eleger um dia no mês para fazer o autoexame”, ressalta a médica.

7. Faço autoexame todos os meses, então não preciso fazer mamografia?

Sim, precisa fazer mamografia a partir de 40 anos. Se sua mamografia não está clara em função das mamas densas, poderá ser feito um segundo exame de imagem, por exemplo, ultrassom ou ressonância magnética.

O artigo Tire 7 dúvidas sobre a mamografia – em Mulher de Corpo
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/blogs/mulher-de-corpo/tire-7-duvidas-sobre-a-mamografia/10807

Deixe uma resposta