Minas Gerais vai receber R$ 7,4 milhões para pacientes com febre amarela

Veja a matéria completa sobre Minas Gerais vai receber R$ 7,4 milhões para pacientes com febre amarela e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Atualmente, apenas os mosquitos silvestres Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus da febre amarela no Brasil

Shutterstock

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (14) repasse de R$ 7,4 milhões para Minas Gerais. O objetivo é que o estado invista o dinheiro no atendimento médico dos pacientes que contraíram febre amarela. De acordo com portaria publicada no Diário Oficial da União, a cidade de Teófilo Otoni vai receber R$ 4,8 milhões, enquanto serão enviados R$ 430,8 mil para Ipatinga e R$ 675,5 mil para Caratinga. Já a Secretaria de Saúde vai ter R$ 1,5 milhão para distribuir pelos outros municípios.


LEIA MAIS: Carnaval também exige cuidados contra a febre amarela, alertam especialistas

Em nota, a pasta informa que “os recursos federais servirão para auxiliar nas despesas emergenciais durante três meses, garantindo o atendimento adequado aos pacientes diagnosticados ou com suspeita de febre amarela
”.

Outros R$ 40 milhões serão repassados a outros estados afetados pela febre amarela – no total, são 19 na chamada área de recomendação permanente da vacina e três com indicação temporária. Do valor total, R$ 13,8 milhões serão destinados a Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo, estados mais atingidos pelo surto deste ano.

“O recurso foi definido a partir da estimativa da população a ser vacinada em cada localidade. A pasta também adiantará outros R$ 26,3 milhões que representa 40% dos recursos de vigilância em saúde. Os valores deverão ser aplicados em ações de prevenção na área de vigilância para a febre amarela”, diz ainda a nota.

Casos de febre amarela

Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde também divulgou o último informe epidemiológico da febre amarela. De 1.230 casos notificados, 234 foram confirmados, 106 descartados e 890 permanecem em investigação. A pasta também confirmou 80 mortes decorrentes da doença: 70 em Minas Gerais – incluindo aqueles em que o paciente ficou doente no estado, mas morreu em outro – 7 no Espírito Santo e 3 em São Paulo.

A forma que a pasta tem feito para evitar a propagação da doença por mais municípios é intensificando a vacinação. Mais de 12 milhões de doses extras do imunizante foram enviadas para Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Bahia e Rio de Janeiro.

Posso tomar a vacina?

A vacina contra febre amarela é indicada apenas para pessoas que moram em locais de risco ou vão viajar para essas áreas
. Ela já está no calendário nacional de vacinação e é oferecida para moradores de áreas de risco a partir dos nove meses de idade – podendo ser antecipada para os seis meses em caso de surto – e tem um reforço aos quatro anos de idade.

Apenas essas duas doses já são suficientes para proteger a pessoa para o resto da vida. No caso de quem toma a primeira após os cinco anos de idade, o reforço é dado depois de um intervalo de dez anos. Mas é preciso atenção: nem todo mundo pode receber o imunizante.


LEIA MAIS: Mamografia aumenta o risco de câncer? Veja os mitos e verdades

Idosos, pessoas imunodeprimidas, com reação alérgica grave após ingestão de ovo, menores de seis meses e as mães que estiverem amamentando bebês nesta faixa etária não estão indicadas a tomar a dose por conta de reações adversas graves. Nestes casos, apenas um especialista pode autorizar a vacina contra a febre amarela.

O artigo Minas Gerais vai receber R$ 7,4 milhões para pacientes com febre amarela foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-02-14/recursos-febre-amarela.html

Deixe uma resposta