Mais de 50 pessoas já morreram por conta da febre amarela no Brasil

Veja a matéria completa sobre Mais de 50 pessoas já morreram por conta da febre amarela no Brasil e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Atualmente, só os mosquitos silvestres Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus da febre amarela no Brasil

Shutterstock

O número de mortos por conta da febre amarela chegou a 52, informou o Ministério da Saúde na tarde desta quarta-feira (1). Os casos foram registrados principalmente em Minas Gerais, que já contabiliza 47 óbitos, enquanto São Paulo e Espírito Santo notificaram os outros cinco.


LEIA MAIS: Saiba se você precisa e onde tomar a vacina contra febre amarela

De acordo com a pasta, já são 857 casos suspeitos de febre amarela
no País, sendo que 149 foram confirmados e outros 667 permanecem em investigação. Por enquanto, o surto da doença aparece em regiões de Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Tocantins.

Desde o início de 2017, 7,5 milhões de doses extras da vacina foram enviados para o Estado de Minas Gerais, que registrou os primeiros casos da infecção este mês, e municípios do Espírito Santo, da Bahia, do Rio de Janeiro e São Paulo, que estão na divisa. Normalmente, o governo distribui 650 mil doses do imunizante no mês de janeiro para todo o País por conta do Calendário Nacional de Vacinação.

Vacina

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), apenas uma dose da vacina já é suficiente para proteção por toda a vida. No Brasil, é aplicada uma dose aos nove meses de idade e um reforço aos quatro anos nos municípios dentro da chamada “Área de risco da febre amarela”.


Locais com recomendação para vacina no Brasil

Ministério da Saúde/ Divulgação


LEIA MAIS: “É quase impossível acabar com o Aedes aegypti”, diz presidente da Fiocruz

Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, quem recebeu as duas doses na infância ou na fase adulta não precisa buscar o serviço médico.

Não tomei ou não me lembro

Pessoas acima de cinco anos que nunca tomaram a vacina podem procurar um posto de saúde para tomar a primeira dose. O reforço deve ser aplicado dez anos depois. Carla afirma que a recomendação é apenas para as pessoas que vivem ou viajam para as áreas de recomendação. “A população que não vive ou não vai se dirigir a essas áreas não precisa buscar a vacinação neste momento”, afirmou a coordenadora em nota do Ministério da Saúde.


LEIA MAIS: Brasil está sentado em ‘bomba-relógio’, diz especialista sobre febre amarela

Adultos que tomaram a primeira dose há menos de dez anos também não precisam antecipar o reforço. Já quem perdeu o cartão de vacinação e não sabe se tomou a vacina corretamente pode procurar o serviço de saúde que costuma frequentar para tentar resgatar o histórico. Caso não consiga descobrir se tomou ou não o imunizante contra a febre amarela, deve iniciar o esquema normalmente.

Contraindicação

Apesar do medo da doença se espalhar, nem todo mundo pode tomar o imunizante contra a febre amarela. As doses são contraindicadas para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas ou com doença inflamatórias crônica, doenças do timo e alergia a ovo. Em situações de surto, como ocorre em alguns municípios de Minas Gerais, um médico deve avaliar o benefício e o risco da vacinação para estes grupos.

O artigo Mais de 50 pessoas já morreram por conta da febre amarela no Brasil foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-02-01/mortes-febre-amarela.html

Deixe uma resposta