Homem com doença renal policística bate recorde de maiores rins do mundo

Veja a matéria completa sobre Homem com doença renal policística bate recorde de maiores rins do mundo e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


A cirurgia foi realizada em 2016, mas os rins só foram reconhecidos este ano, depois do envio de fotos das medidas dos órgãos

Reprodução/Facebook

Um novo recorde foi reconhecido pelo Guinness Book of World Records. Um homem indiano, que teve seus rins removidos em 2016, recebeu a horaria porque seus órgãos foram constados como os maiores do mundo.

Leia também: Por não tomar café da manhã, mais de 200 pedras são formadas em fígado de mulher

Ahmad Saeed, de 56 anos, mora em Dubai, e sofria de uma doença renal policística, que fez com que cistos gigantes se formassem e inchassem seus rins
. Eles eram tão grandes, que poderiam ser mais pesados do que um bebê recém-nascido, afirmou a equipe médica que operou o homem.

O rim maior chegou a pesar 4 quilos, e medir 34 cm por 17 cm, características bem diferentes de um rim normal, que mede aproximadamente 12 cm por 6 cm e pesa menos de 150 gramas.

 Ao chegar nessa situação, o indiano não conseguia mais andar ou conversar. Até então, não era possível saber o que ele realmente tinha. Somente depois que ele foi submetido à cirurgia, os médicos puderam diagnosticá-lo com a doença.

Para se manter vivo, ele precisou passar por diálise até que recebesse um transplante
de novos órgãos.

Antes da operação, Saeed conta que se sentia tão cansado e com um abdomen alargado, que não podia andar direito e só queria ficar em seu quarto com a porta fechada. Segundo os especialistas, os órgãos estavam tão grandes que estavam esmagando tudo que havia ao redor, em seu organismo.

“Agora, voltei ao normal, eu posso me mover, posso pular e posso correr. Ninguém acredita que eu tirei os dois rins”, comemora o indiano em entrevista ao The Sun.

Leia também: Mulher de 27 anos descobre que terá Alzheimer em 15 anos

Doença renal policística

A maioria dos casos, cerca de 90%, é decorrente de mutações genéticas. Essa alteração é hereditária, o que faz com que as pessoas que tiveram casos de cistos renais
na família procurem um acompanhamento médico.

Os cistos aparecem no órgão como se fossem várias bexigas ou bolhas cheias de água de diferentes tamanhos. Isso faz com que a pessoa sinta forte dores nas costas, no abdômen e sangue na urina.

Não há cura para esse tipo de condição. Na maioria dos casos, o paciente passa a se consultar periodicamente com um nefrologistas para controlar os cistos com o uso de remédios. Apenas em situações mais graves, como a de Saeed, é recomendável que se retire o rim.

Evidências

Apesar de ter sido submetido à cirurgia no ano passado, o livro dos recordes só reconheceu o fato agora, porque eles estavam esperando por evidências fotográficas dos órgãos.

O chefe do Departamento de Urologia do Hospital de Dubai Fariborz Bagheri afirmou que “o Guinness World Records solicitou a prova dos rins na escala de pesagem, que não foi enviada quando a remoção foi feita”.

Com o “feito”, o indiano acaba de superar o último recorde mundial do maior rim, que era de 2,14 quilos.

Leia também: Criança com HIV que parou tratamento não tem mais sinais do vírus

O artigo Homem com doença renal policística bate recorde de maiores rins do mundo foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-07-25/rins-maiores-do-mundo.html

Deixe uma resposta