Fumar pode atrapalhar resultado da cirurgia plástica ou procedimento estético

Veja a matéria completa sobre Fumar pode
atrapalhar resultado da cirurgia plástica ou procedimento estético e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.

Sabe-se que deixar de fumar pode ser extremamente difícil. Mas, se você planeja se submeter à uma cirurgia plástica, seja de face, mama, abdômen, lipoaspiração, ou procedimentos estéticos tais como laser, ou peelings médios e profundos e preenchimento de pálpebras para eliminar olheiras é bom pensar em abandonar a nicotina pelo menos por algum tempo. Suspender o cigarro um mês antes e um mês depois do procedimento, ainda que não seja o ideal, já pode ser uma ajuda significativa.

Leia mais: Dermatologista Ligia Kogos conta a Maria João segredos de beleza


Seu médico inclusive ficará mais animado e mais à vontade para realizar a cirurgia se você deixar o vício

Thinkstock

Muitos cirurgiões recusam-se a fazer determinadas cirurgias em fumantes crônicos e nesses casos, o único jeito é mesmo largar o vício. Mas os médicos tendem a tolerar o hábito desde que julguem individualmente cada caso. Nestas circunstâncias, livrar o organismo da nicotina, pelo menos por algum tempo, pode contribuir para que os resultados sejam melhores e a recuperação seja mais rápida e livre de complicações, o que é melhor para todos.

É bom saber, que a ação do cigarro, afetando diretamente o desempenho do sistema vascular, comprometendo a irrigação sanguínea dos tecidos e absorção dos líquidos da área que sofreu a intervenção, dificulta dramaticamente o processo normal de cicatrização de cortes e feridas e a recuperação geral.

Leia mais: Quer perder barriga? Dr. Jardis Volpe diz a Maria João como acabar com a gordura

Que se enfrente a verdade: hematomas persistirão por mais tempo, o pós peeling demorará mais, até que a pele volte ao normal, pontos poderão se abrir, cortes cirúrgicos estarão mais vulneráveis à infecção, inchaços serão mais pronunciados e a drenagem dos líquidos se retardará. Seu médico provavelmente terá que prescrever medicamentos que, em não fumantes, não seriam necessários. Ademais, não esqueça, tudo o que não sair a seu gosto e expectativa poderá ser creditado ao tabagismo. 

Seu médico e você, assim como sua família e amigos obviamente se importam com sua recuperação. Estes últimos talvez tenham demonstrado franca preocupação e até mesmo oposição, quando você se decidiu a fazer algo mais sofisticado por sua aparência. Aflição e burburinho de terceiros, têm como consequência, dificultar as decisões médicas e a aceitação das condutas prescritas, não raro trazendo prejuízo ao paciente, que se vê perdido em meio à medo, pressão e desconforto físico.

Com uma simples interrupção temporária do fumo, (3 a 4 semanas antes e depois, somente), o índice de complicações pode cair entre 21% a 41 %, o que é muito animador! Claro que ainda representa grande sacrifício para fumantes de longa data, mas, esta informação pode animar mesmo os mais resistentes.

Um detalhe chato, é que os “e-cigarrettes” ou “cigarros eletrônicos“, muito usados ultimamente pelos que tentam se livrar do vício, a despeito de serem eficientes para este fim, não previnem os riscos pós operatórios, pois contém outras substancias prejudiciais e mesmo doses pequenas de nicotina.

Leia mais: Implante dentário: Dr. Bruno Puglisi explica o procedimento a Maria João

Assim, na hora em que se decidir e marcar um procedimento estético faça um esforço e interrompa o fumo 3 ou 4 semanas antes. Seu médico inclusive ficará mais animado e mais à vontade para realizar o ato na sua plenitude, para obter os melhores resultados.

O artigo Fumar pode
atrapalhar resultado da cirurgia plástica ou procedimento estético foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/colunas/ligia-kogos-dermatologia/2017-02-20/cirurgia-plastica-dermatologia.html

Deixe uma resposta