Febre amarela: Rio de Janeiro registra mais um caso de morte

Veja a matéria completa sobre Febre amarela: Rio de Janeiro registra mais um caso de morte e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Mais um caso de febre amarela com morte é registrado no Rio de Janeiro, dessa vez em Maricá

Thinkstock/Getty Images

Na semana passada foi registrada a primeira morte por febre amarela em Maricá, região metropolitana do Rio de Janeiro. Até o momento, as vítimas da doença só estavam registrando os casos em áreas rurais. Esse fato fez com que a vacinação na cidade alcançasse 80% da população nesta segunda-feira (24), de acordo com a Secretaria de Saúde do muncípio.

Leia também: Saiba se você precisa e onde tomar a vacina contra febre amarela

A meta de Maricá é vacinar 130 mil pessoas em até 30 dias. A secretaria recebeu nesta manhã novo lote com 17 mil doses da proteção contra febre amarela
e a previsão é que o estado envie um total de 50 mil até o fim da semana.

Ação

A campanha foi forte na Serra do Caboclo, região rural do Silvado, onde vivem 80 famílias. As equipes – com enfermeiros, técnicos de enfermagem, guardas ambientais e pessoas que conhecem a região – continuam as ações de imunização batendo de porta em porta no Vale da Figueira, em Ponta Negra, e Limão, em Bambuí. Além dos bairros do Bananal, Espraiado, Jaconé, Manoel Ribeiro, Guaratiba e Marinelândia.

Para ampliar a imunização, mais quatro unidades de vacinação foram abertas. A Secretaria da Educação também participa da ação e apoiou a montagem de pontos de imunização nas escolas municipais João Pedro Machado, em Manoel Ribeiro, Brasilina, no Silvado e Alfredo Nicolau, na Marquês, além da Igreja Batista de Ubatiba. Em todos esses locais as vacinas estão sendo oferecidas a partir das 10h.

Leia também: Febre amarela em Minas Gerais já registra mais de mil casos suspeitos

No Posto Central, que fica na Rua Clímaco Pereira, sem número, a vacinação prossegue com distribuição diária de 500 senhas – 250 na parte da manhã e 250 à tarde. O atendimento ocorre das 8h às 17h.

Histórico

Até o momento, a Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde informou que foram confirmados 11 casos da doença em sua forma silvestre em humanos no Rio de Janeiro, sendo três deles resultando em morte.

Em Casimiro de Abreu, o primeiro a registrar febre amarela, teve sete ocorrências, com uma morte; um caso em São Fidélis; um em São Pedro da Aldeia, mas o paciente contraiu a doença em viagem à zona rural de Casimiro de Abreu; um caso em Porciúncula, em que o paciente morreu; e o caso de morte em Maricá. Foram confirmados casos de febre amarela em macacos em São Sebastião do Alto e Campos dos Goytacazes.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Quem teve dengue tem menos chance de contrair febre amarela

O artigo Febre amarela: Rio de Janeiro registra mais um caso de morte foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-04-24/febre-amarela-em-marica.html

Deixe uma resposta