‘Faria qualquer coisa para voltar a sorrir’, diz homem que teve câncer raro

Veja a matéria completa sobre ‘Faria qualquer coisa para voltar a sorrir’, diz homem que teve câncer raro e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


James, antes de ter sido diagnosticado com o tumor, que então pensava se tratar de uma dor de dente

Arquivo pessoal

As expressões faciais podem dizer muito sobre o que uma pessoa está sentindo. É certo que nem sempre todas são fáceis de decifrar, mas quando um sorriso se abre no rosto de alguém não é preciso ser nenhum psicólogo para notar alegria, contentamento ou algo positivo. Um gesto tão simples como esse é tudo o que o britânico James Parkin, de 41 anos, deseja voltar a fazer em sua vida.

Leia também: Escovar os dentes regularmente pode diminuir em 20% risco de câncer de garganta

O que antes parecia ser apenas uma dor de dente inconveniente, passou a ser diagnosticado como um tumor cancerígeno que poderia ser letal. A notícia veio em fevereiro de 2016, quando médicos descobriram um nódulo próximo à parte inferior de sua mandíbula, deixando o incapaz de sorrir
depois da cirurgia.


Depois da cirurgia, os nervos da face de James foram afetados, impedindo-o de sorrir

Arquivo pessoal

Os exames apontaram que ele tinha um câncer
raro da glândula salivar. O tipo é tão incomum que afeta apenas uma em cada 100 mil pessoas no Reino Unido anualmente.

Para que sua vida fosse salva, James precisou ser submetido a uma cirurgia. No processo, os especialistas descobriram que o tumor
estava envolto em torno de seus nervos faciais, que posteriormente precisariam ser cortados, causando paralisia de um lado do rosto do britânico.

Os médicos chegaram a avisar James de que o procedimento poderia fazer com que ele nunca mais retornasse ao normal. Após a cirurgia, em 2016, foi necessário realizar semanas de radioterapia.

Desde que o tumor foi retirado, parte do seu rosto ficou paralisado e ele nunca mais foi capaz de sorrir.

Há pouco tempo ele foi submetido a outro procedimento importante que envolveu tirar um nervo de sua coxa e colocá-lo em sua mandíbula. Ao fazer isso, os cirurgiões tentaram fazer com que os nervos no rosto de James cresçam novamente, na esperança de que um dia ele possa ter seu sorriso de volta.

O homem é gerente de projeto, tem uma filha, Mia, e é divorciado. Em um vídeo gravado para uma entidade que ajuda pessoas com câncer, James falou sobre o impacto devastador que o procedimento teve em sua confiança.

“Eu daria qualquer coisa para poder sorrir novamente, mas, preciso reconhecer que estou feliz por estar vivo e fui capaz de ter uma cirurgia e um tratamento adequado”, afirmou ele na gravação.

“Sou grato por poder fazer coisas pequenas, como ser capaz de ir e assistir a minha filha jogar futebol em uma manhã de domingo. Você pode não ser capaz de vê-lo, mas estou sorrindo por dentro, Mia”, concluiu James.


James e sua filha, Mia;

Arquivo pessoal

Leia também: Idosa descobre tumor após quatro anos sendo diagnosticada com sinusite

Câncer das glândulas salivares

Nesses casos, tumores se desenvolvem nos nervos e estruturas da face, próximos à língua, onde as glândulas salivares estão localizadas. São vários os tipos de câncer, nomeados de acordo com o tipo da célula a que se assemelham quando observadas ao microscópio.

Ainda não se sabe ao certo quais são as causas para essa doença, no entanto, algumas pesquisas apontam para anormalidades no DNA como possíveis explicações para a enfermidade.

De acordo com o Instituto Oncoguia, os sintomas podem ser:

  • Massa ou nódulo no rosto, pescoço ou boca;
  • Dor contínua no rosto, pescoço ou boca;
  • Diferença entre o tamanho ou forma de um dos lados do rosto ou pescoço, comparado com o lado contralateral;
  • Dormência em parte do rosto;
  • Fraqueza nos músculos do rosto;
  • Problemas para abrir a boca amplamente;
  • Drenagem de líquido à região auricular;
  • Dificuldade para engolir.

 Leia também: Mulher com câncer de pele mostra como tumor “devorou” seu rosto

O artigo ‘Faria qualquer coisa para voltar a sorrir’, diz homem que teve câncer raro foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/minhasaude/2018-02-17/sorrir-cancer-paralisia-facial.html

Deixe uma resposta