Entenda o que é tireoidite de Hashimoto, doença que afeta a modelo Gigi Hadid

Veja a matéria completa sobre Entenda o que é tireoidite de Hashimoto, doença que afeta a modelo Gigi Hadid e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Em sua conta no Twitter, Gigi Hadid desabafou sobre seu problema na tireoide e rebate críticas sobre seu peso

Reprodução/Instagram

Depois de ser questionada pelos fãs por sua magreza, a supermodelo americana Gigi Hadid, de 22 anos, voltou a falar no Twitter sobre sua condição que ataca a glândula da tireoide e está colaborando para essa alteração de peso.

Leia também: Cansaço e insônia podem ser sintomas de problema na tireoide

Desde 2016 a celebridade já havia afirmado ter tireoidite de Hashimoto, doença autoimune que provoca inflamação na glândula da tireoide
, comprometendo sua função e gerando o hipotireoidismo, que pode causar aumento de peso, cansaço, pele ressecada e unhas quebradiças.

“Quando eu comecei (a trabalhar) aos 17 anos, eu ainda não tinha sido diagnosticada com a síndrome de Hashimoto
. Aqueles que falavam que eu era ‘muito gorda para ser modelo’ estavam vendo na verdade (o resultado de) inflamação e retenção de líquido”, escreveu a modelo na rede social recentemente.

“Ao longo dos anos, eu fui medicada para reduzir os sintomas. Não apenas esses ( ganho de peso
devido inflamação e retenção de líquido), mas também cansaço extremo, questões de metabolismo, capacidade de lidar com calor, etc”, afirmou ela, explicando o fato de ter perdido peso.

“Eu posso estar muito magra para você. E honestamente, essa magreza não é como eu gostaria de estar. Mas eu me sinto mais saudável internamente e continuo aprendendo com o meu corpo a cada dia”, desabafou Hadid.

Só nos Estados Unidos, a tireoidite de Hashimoto afeta 14 milhões de pessoas, mas os especialistas ainda não estão certos do que causa exatamente a doença.

A glândula da tireoide produz hormônios que regulam a taxa metabólica do corpo, controle muscular, coração e função digestiva. Quando ela é atacada pelo sistema imunológico a produção desses hormônios se torna insuficiente, levando ao ganho de peso, fraqueza muscular e um rosto inchado. Além disso, também pode causar sensibilidade ao frio, perda de cabelo, fadiga e inchaço na parte frontal da garganta.

Leia também: Drauzio Varella desmente boato que liga mamografia a câncer de tireoide

Diagnóstico

A doença, que geralmente é diagnosticada por meio de um exame de sangue, é o transtorno da tireoide mais comum, afetando principalmente as mulheres de meia-idade.


Exame clínico do pescoço: se perceber alguma alteração na região é importante ir ao médico

Getty Images

A causa exata da doença ainda é desconhecida, mas os especialistas acreditam que as pessoas são mais propensas a desenvolvê-las se tiverem membros da família com doenças ou outras doenças autoimunes, como doença celíaca, diabetes tipo 1 e lúpus.

Sabendo que as mulheres são oito vezes mais propensas a desenvolver a condição do que os homens, conforme informa o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças do Rim, os especialistas acreditam que os hormônios sexuais podem desempenhar um fator significativo para o desenvolvimento da doença.

Apesar de não ter cura, a síndrome pode ser controlada com o uso de medicamentos. Se não for tratada, a condição pode levar a outros problemas de saúde.

Baixos níveis de hormônios tireoidianos permitem níveis de colesterol “ruim”, o que aumenta o risco de doença cardíaca. Além disso, bebês nascidos de mulheres com hipotireoidismo não tratado devido à doença de Hashimoto também apresentam maior risco de defeitos de nascimento do que os bebês nascidos de mães saudáveis.

Brasil

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), a estimativa é de que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida
. Porém, isso não significa que serão malignos. Cerca de 5% apenas são cancerígenos.

Por agir na função dos principais órgãos do corpo, como o coração, cérebro, fígado e rins, além de interferir no desenvolvimento de crianças e adolescentes, ciclo menstruais, fertilidade, peso, memória, concentração, humor e controle emocional, é importante ficar atento para os cuidados com bom funcionamento da tireoide. Saiba quando procurar um endocrinologista:

  • Se tiver história familiar de alteração da tireoide;
  • Quando perceber atraso no crescimento de crianças;
  • Caso note aumento do diâmetro do pescoço;
  • Se tiver sintomas e sinais compatíveis com doença da tireoide;
  • Caso use medicamentos que podem afetar a tireoide, como carbolítio, amiodarona e interferon;
  • Se teve exposição prévia ao iodo radioativo ou radiação na região da cabeça, pescoço e tronco;
  • Em caso de gestação com alteração dos exames de tireoide;
  • Se já tiver feito alguma cirurgia da tireoide. 

Leia também: Veja 8 sinais do hipertireoidismo

Entenda alguns sintomas dos problemas que podem envolver a tireoide.

Hipotireoidismo:
cansaço, sonolência excessiva, pele seca, queda de cabelos, sensação de frio mais intensa que o normal, constipação intestinal, dificuldade para perder peso, inchaço em pálpebras, mão e pés.

Hipertireodismo:
agitação, insônia, sensação de calor mais intensa, taquicardia, tremores nas mãos, sudorese excessiva, evacuações frequentes e/ou diarreia, perda de peso, irritabilidade.

Tireoidites:
podem não apresentar sintomas ou causar dor na região do pescoço, dificuldade para engolir, febre, sensação de inchaço no pescoço.

Nódulos e tumores de tireoide:
geralmente não geram sintimas. Eventualmente, com a tireoide aumentada de tamanho, podem causar sensação de aperto ou sufocação na região do gogó. Saiba mais sobre o câncer de tireoide.

Leia também: Nove coisas que você precisa saber sobre a tireoide

Autoexame

A SBEM ensina a fazer o autoexame da tireoide, importante na detecção de nódulos que podem indicar uma visita ao endocrinologista. No entanto, a técnica não dispensa o exame clínico e complementar, que devem ser feitos por um especialista.

O procedimento é simples e pode ser feito em casa. Para isso, é preciso um copo de água e um espelho. Veja como proceder:

  • Segure o espelho e procure no pescoço a região logo abaixo do “pomo-de-adão” ou, como é popularmente conhecido, gogó. Ali está a sua glândula tireoide.
  • Incline o pescoço para trás, para que a região fique mais exposta.
  • Beba um pouco de água.
  • O ato de engolir fará com que a tireoide suba e desça. Não confunda a tireoide com o “pomo-de-adão”.
  • Observe se existe algum caroço ou saliência. Se observar alguma alteração procure um endocrinologista. Ele é o profissional especializado sobre o assunto.

Leia também: Hipotireoidismo acomete 8% da população, veja principais sintomas da doença

O artigo Entenda o que é tireoidite de Hashimoto, doença que afeta a modelo Gigi Hadid foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/minhasaude/2018-02-14/tireoide-gigi-hadid-hipotireoidismo.html

Deixe uma resposta