Dietas online são práticas, mas não substituem consulta com nutricionista

Veja a matéria completa sobre Dietas online são práticas, mas não substituem consulta com
nutricionista e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.

“Você está a um passo de conquistar o corpo dos seus sonhos”, diz a cantora Ivete Sangalo
no vídeo publicado na página inicial do Body Change 10 Semanas, programa online de boa forma lançado em parceria com o marido, o nutricionista Daniel Cady.

O empreendimento do casal vem se juntar a outros sites que prometem emagrecimento e saúde. Basta se cadastrar, informar alguns dados referentes à forma física, pagar um valor fixo ou fazer uma assinatura mensal e começar a seguir as instruções enviadas por e-mail ou dadas pelo site.


Getty Images

Programas como Body Change 10 Semanas, Dieta Dukan e Dieta & Saúde seguem métodos já conhecidos, como a diminuição da ingestão de carboidratos, ou a dieta dos pontos.

Conheça a nova dieta dos pontos

Os diferenciais são os lembretes constantes por e-mail, com dicas e sugestões para não fugir do cardápio sugerido e mensagens motivadoras, aplicativos para celular que apoiam a dieta e, em alguns casos, uma rede social composta por pessoas que têm o mesmo objetivo de emagrecimento e usam o mesmo método. Começar um regime sem sair da frente do computador, porém, exige cuidados.

“Não recomendamos que pessoas com doenças ou condições de saúde sigam o programa do Dieta & Saúde”, diz Roberta Stella, nutricionista chefe do site que diz ter emagrecido mais de 324 mil pessoas. Além disso, gestantes e mulheres que estejam amamentando também não devem seguir o programa, que custa a partir de R$ 48 por trimestre.

A proposta do Dieta & Saúde é desenvolver a “consciência alimentar” do usuário do site. Baseado nas informações de peso, altura, idade e sexo, fornecidas pelo internauta, o sistema sugere uma cota de pontos que podem ser consumidos no dia. Fazer exercícios físicos faz com que se ganhe mais pontos para a alimentação.

“Nós vamos contra modismos”, diz Roberta. “Queremos uma mudança de hábitos efetiva, e não algo pontual”, completa.

O Body Change 10 Semanas é um programa de dietas europeu que foi adaptado para a realidade brasileira. O programa propõe eliminar em média 10,3 kg ao final de dez semanas, e divulga ter emagrecido mais de 500 mil quilos entre os participantes europeus.

“Não indicamos a dieta apenas para quem tem insuficiência renal”, diz Daniel Cady, mas nos termos de uso do site também existe uma recomendação para que diabéticos, vegetarianos e gestantes não sigam o programa, que cobra R$ 149,70 pelas dez semanas de orientação.

Saiba mais sobre insuficiência renal na Enciclopédia da Saúde

A dieta é responsável por 70% dos resultados do programa Body Change, e segue o princípio de dividir os alimentos em dois grupos: os que ajudam na perda de peso, os que podem ser consumidos à vontade, e os que atrapalham o emagrecimento e devem ser evitados. Na prática, a dieta orienta que sejam evitados os carboidratos simples (massa, batata, arroz, pão, laticínios, açúcar, bebidas com açúcar e frutas) e que a alimentação seja baseada no consumo de proteínas, gorduras e alimentos termogênicos. Não há restrição de quantidade de comida, e – surpresa! – uma vez por semana é permitido comer de tudo, sem nenhuma restrição.

“Você acha que eu ia topar uma coisa dessas sem um dia livre?”, diverte-se Ivete Sangalo, que diz ter perdido 5 kg até a metade do programa de dez semanas.

O princípio da alimentação do Body Change 10 Semanas é bastante parecido com a controversa dieta Dukan, que virou mania mundial depois que a boa forma da duquesa Kate Middleton foi atribuída ao programa do nutricionista francês Pierre Dukan. Pouco carboidrato, muita proteína e gordura, e sem limites de quantidade de comida.

Dieta Dukan: será que funciona?

A dieta Dukan também oferece acompanhamento online. Depois de coletar dados de peso, altura, idade, sexo, histórico familiar e ossatura, o site mostra em quanto tempo o usuário chegará ao peso ideal, caos siga o programa à risca. Para usufruir da orientação online, o participante precisa pagar uma mensalidade de R$ 113,82 por ao menos três meses.

Em comum, todos estes sites de dieta deixam bem claro que seus programas de acompanhamento não substituem consulta ou tratamento médico.

“Quando o paciente procura o consultório do nutricionista, fazemos uma avaliação completa, pedimos exames para checar eventuais deficiências nutricionais, taxas alteradas, e podemos conversar e descobrir quais as dificuldades de cada um”, diz a nutricionista funcional Natália Colombo. A dieta prescrita pelo nutricionista é personalizada para cada paciente, coisa que não ocorre nas dietas com acompanhamento online.

Se ainda assim a dieta online parece ser uma boa solução para emagrecer, o candidato à boa forma deve procurar um programa que combine seus hábitos.

“Não adianta tentar mudar radicalmente de uma hora para a outra”, aconselha Alessandra Luglio, nutricionista clínica com especialização em esporte e qualidade de vida.

“Se você passar fome, se sentir fraco, se sentir mal, tem algo errado e é melhor parar. Como não há acompanhamento médico, você precisa escutar seu corpo e respeitar sua saúde”, finaliza.

Leia mais notícias de alimentação e bem-estar

O artigo Dietas online são práticas, mas não substituem consulta com
nutricionista foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/alimentacao-bemestar/2013-04-08/dietas-online-sao-praticas-mas-nao-substituem-consulta-com-nutricionista.html

Deixe uma resposta