Dieta cetogênica: entenda o regime alimentar e seus impactos na saúde – em Nutrição

Fique atenta às vantagens e desvantagens da dieta cetogênica, regime alimentar que promete rápida perda de peso, mas nem sempre da forma mais saudável

Reportagem: Monique Zagari Garcia



dieta-cetogenica-nutricao

A falta de energia dos carboidratos faz com que a pessoa não

tenha disposição para se exercitar, apresentando sintomas de

câimbra e fadiga muscular

Foto: Fabio Mangabeira

Já ouviu falar da dieta cetogênica? O polêmico regime alimentar é conhecido pela exclusão dos carboidratos na refeição, promovendo a rápida perda de peso, além de ser indicado para pessoas que sofrem de epilepsia. Para esclarecer nossas dúvidas, conversamos com especialistas que nos explicaram tudo sobre o programa nutricional.

Segundo a Dra. Telma Sigolo, nutróloga do Hospital São Camilo (SP), uma vez que a dieta cetogênica consiste na retirada de carboidratos da alimentação, aumenta-se a oferta de proteínas e lipídios, criando uma condição metabólica conhecida como cetose, em que o organismo utiliza gordura como fonte energética e desse processo elimina os corpos cetônicos que, quando encontram-se em quantidades elevadas no sangue, podem causar redução de apetite e náuseas. “Primeiramente, a dieta cetogênica surgiu na década de 20 sendo indicada para determinados casos de epilepsia, mas com o advento de novos medicamentos anticonvulsivantes a partir dos anos 30, ela foi pouco a pouco sendo suprimida. Com o lançamento do famoso livro do médico americano Dr. Atkins (“Dieta do Dr. Atkins Scardale“), que é similar e tem o mesmo princípio da adoção de uma dieta hipocalórica, o regime voltou à tona e se tornou uma febre mundial. Esta é conhecida como dieta da proteína e até hoje causa polêmica e gera controvérsias”, explica a Dra. Paula Cabral, nutróloga e diretora-médica da Clínica Hagla (RJ).


Quanto à restrição de carboidratos, o Dr. André Veinert, nutrólogo e especialista em emagrecimento pela Clínica Health Me Gerenciamento de Perda de Peso (SP), afirma que esta geralmente é parcial, com liberação somente de algumas verduras e legumes desde o início e algumas frutas (com baixo teor de carboidratos) após 15 dias. Alimentos como pães, massas, batata, mandioca e bolachas são proibidos na dieta cetogênica. Há liberação no consumo de alimentos ricos em proteínas e gorduras, como carnes, ovos, queijos, bacon, lingüiça e salame, sem restrições.

Existem diferentes opiniões quando as vantagens e desvantagens da dieta cetogênica são colocadas na mesa: “Quando bem indicada e bem prescrita, o regime pode ser benéfico para as pessoas que desejam perder peso, já que está relacionada à maior mobilização da gordura corpórea; mas ao mesmo tempo não pode ser usada por tempo muito prolongado, principalmente se a restrição de carboidratos for severa, pois essa situação de cetose pode levar a náuseas, desidratação, torpor, distúrbios hidroeletrolíticos, confusão mental e dislipidemias, como o aumento do colesterol ruim e queda do colesterol bom”, acredita a Dra. Telma Sigolo. “Tudo isso porque nosso cérebro precisa de glicose para bom funcionamento. Na falta de carboidratos que iriam gerar glicose como combustível, o cérebro passa a utilizar outras fontes menos eficazes, podendo causar todos os sintomas já citados”, completa o Dr. André Veinert.

Já a nutróloga Dra. Liliane Oppermann (SP) não recomenda a dieta cetogênica aos seus pacientes: “A falta de vitaminas, minerais, fibras e carboidratos em nosso corpo leva a dores de cabeça, constipação, insônia, irritabilidade, mau humor e facilidade em abandono da dieta. Além disso, a falta de energia dos carboidratos faz com que a pessoa não tenha disposição para se exercitar, podendo apresentar sintomas de câimbras e fadiga muscular”, relata.

Sob o ponto de vista da Dra. Paula Cabral, a dieta cetogênica deve ser feita com um período de tempo pré-determinado e curto entre 3 a 5 dias e evoluir gradativamente. “É importante ressaltar que este regime precisa ser recomendado e acompanhado por um nutricionista ou médico especializado até retornar ao esquema alimentar habitual”, alerta.

Quando perguntamos sobre suas contraindicações, a Dra. Paula é clara: pessoas acima dos 65 anos, portadores de insuficiência hepática ou renal, doenças cardiovasculares ou cerebrovasculares e usuários de cortisona devem passar longe dos hábitos alimentares da dieta cetogênica

 

O artigo Dieta cetogênica: entenda o regime alimentar e seus impactos na saúde – em Nutrição
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/nutricao/dieta-cetogenica-entenda-o-regime-alimentar-e-seus-impactos-na-saude/2980

Deixe uma resposta