Como é a cirurgia? Dói? Vale a pena? Tire todas as dúvidas sobre a rinoplastia

Veja a matéria completa sobre Como é a cirurgia? Dói? Vale a pena? Tire todas as dúvidas sobre a rinoplastia e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


A rinoplastia é uma cirurgia que pode ser usada tanto para fins estéticos como para fins funcionais, ou seja, para melhorar a qualidade de vida

Reprodução/Shutterstock

A rinoplastia, nome dado à  cirurgia plástica
feita na região nasal
, é feita unicamente para melhorar traços estéticos que incomodam, certo? Errado. Sim, o procedimento ainda é muito procurado por pessoas que querem mudar o formato do nariz
por não ficarem contentes com o aspecto original. No entanto, essa operação é usada para corrigir problemas que vão além da “beleza”.

Leia também: Substância de plástica sem cortes põe saúde em risco

“A rinoplastia
é indicada para pacientes a partir dos 16 anos que apresentem alguma queixa estética ou funcional do nariz”, diz o cirurgião plástico e especialista Paolo Rubez. As “queixas funcionais” do nariz estão ligadas ao mau desempenho da função respiratória, ou seja, quando a respiração não acontece de maneira adequada, o que pode ter relação à diversos problemas.

Quando fazer rinoplastia

  • Desvio de septo

Um dos problemas pode ser resolvido durante uma rinoplastia é o desvio de septo. Sendo assim, ao realizar o procedimento, o septo é corrigido para a posição ideal.

O septo nasal é a parede que divide as duas narinas. Ao dizer que a pessoa tem “desvio de septo”, condição comum que aflige mais de dois milhões de brasileiros, é quando essa estrutura está fora do lugar devido a um traumatismo, ou seja, uma lesão no nariz, ou apenas um problema congênito, presente desde o nascimento.

O sintomas do desvio de septo são: apneia do sono, sinusite, perda da qualidade de respiração, roncos, dor de cabeça, sangramento nasal, entre outros. 

  • Carne esponjosa

A carne esponjosa é o nome popular dado as adenoides, que se localizam próximas ao septo e são responsáveis por umidificar o ar que entra nas narinas. O problema é quando essa estrutura se hipertrofia – aumenta de tamanho. Isso ocorre, principalmente, quando a pessoa tem algum tipo de alergia, por exemplo, rinite.

Com a hipertrofia da carne esponjosa, diversas dificuldades respiratórias surgem já que é como se essa estrutura tapasse a passagem de ar do nariz, causando problemas como ronco e otites, inflamações no ouvido.

  • Sinusite

A sinusite é uma inflamação dos seios paranasais que ocorre nas mucosas da face, condição muito comum que atinge cerca de 30 milhões de brasileiros anualmente. A sinusite pode ser uma consequência da gripe ou alergia, que prejudicam a drenagem desses líquidos faciais, provocando problemas como dor de cabeça, corrimento nasal e rosto inchado.

Apesar de não ser tão comum, é possível realizar essa drenagem através de intervenção cirúrgica, que é mais indicada quando há outras questões, estéticas ou funcionais, a serem tratadas por cirurgia plástica.

  • Estética

Por último, mas não menos importante, a rinoplastia pode ser uma opção para pessoas que não gostam do aspecto do nariz – parte do corpo que faz grande diferença na percepção do rosto inteiro.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, você não vai chegar ao consultório do seu cirurgião plástico com uma foto do nariz que você considera perfeito e pronto. Cada rosto tem uma nariz considerado proporcional e ideal, de acordo com o profissional.

Por isso, a escolha do médico que vai realizar a cirurgia é essencial: o planejamento cirúrgico, o que irá ser modificado, fica nas mãos do especialista, que, às vezes, age em conjunto com um otorrinolaringologista.

Como é o processo cirúrgico?


O processo cirúrgico da rinoplastia acontece em hospital, sob anestesia geral e tem duração de até três horas e meia, além de ser realizada por duas técnicas principais

Reprodução/Shutterstock

“É extremamente comum que se faça tanto a cirurgia estética quanto a funcional no mesmo tempo, desde que seja desejo do paciente e apresente indicação médica para tal”, explica o Dr. Paolo Rubez. “São procedimentos que se complementam, uma vez que a própria cirurgia estética também acessa o septo nasal. A soma dos procedimentos não vai ter grande interferência na recuperação do pós-operatório e o tempo de cirurgia não fica muito longo”, explica.

É importante ressaltar que o procedimento não é de risco extremo e é relativamente seguro, principalmente pelo fato de não ser um caso urgente e, portanto, ser realizado após um longo processo pré-cirúrgico que inclui uma batelada de exames que garantem que o risco de complicações seja baixo.

A cirurgia é feita em centro cirúrgico de hospitais, geralmente dura até três horas e meia e acontece sob anestesia geral para maior segurança do paciente, que permanece internado por um período de 12 a 24 horas antes de ter alta e poder ir para casa.

A cirurgia plástica pode ser realizada através de duas técnicas principais: a exorrinoplastia ou rinoplastia aberta e a endorrinoplastia ou rinoplastia fechada. Na primeira, a abordagem acontece pela columela, região que separa as narinas. A rinoplastia aberta é mais utilizada quando há necessidade de maiores modificações estéticas no nariz, porque ela expõe mais as estruturas a serem manipuladas.

Já a segunda técnica é realizada através de incisões internas no nariz, sem cicatrizes internas no nariz e é utilizada quando a cirurgia é apenas funcional, ou seja, relacionada a saúde, ou quando o paciente necessita fazer apenas pequenas modificações estéticas.

Leia também: Parar de fumar antes de uma cirurgia é seguro

O pós-operatório é doloroso?

Talvez essa seja a parte mais temida pelas pessoas que realizam a rinoplastia: o pós-operatório. “O pós-operatório apresenta como maiores inconvenientes o inchaço, tanto internamente quanto externamente no nariz, e os hematomas na região das pálpebras”, diz o cirurgião plástico, definindo que a dor, como muitos podem pensar, não é o maior dos problemas para quem faz a cirurgia. Raramente se faz uso de analgésicos.

“O pós-operatório costuma ser tranquilo. Geralmente, os pacientes estão aptos a retornar a suas atividades habituais cerca de sete a dez dias após a cirurgia”, diz a otorrino do Hospital IPO, Heloisa Vian.

Ainda segundo o Dr. Paolo Rubez, normalmente é necessário tomar antibiótico e anti-inflamatório pelo período de uma semana, além de muita higiene nasal com soro fisiológico. Atividades mais intensas podem ser retomadas após um mês de cirurgia.

O pós-operatório é um processo lento no que diz respeito a visibilidade do resultado final. Muitos pacientes reclamam do inchaço que só é absorvido completamente com no mínimo de seis meses a um ano.

Quais são as possíveis complicações?

“As complicações relacionadas a essa cirurgia são poucas. Como qualquer procedimento cirúrgico, há preocupações com relação a possibilidade de infecções e se sangramento no pós operatório”, diz a Dr. Heloisa Vian, que garente que a possibilidade é remota e mais rara ainda quando há um bom acompanhamento pós-cirúrgico.

“Eu odiava meu rosto”


Antes e depois de uma rinoplastia

Arquivo pessoal


“Por mais que as pessoas falassem que não era feio, eu não gostava nem que me olhassem, porque achava que já estavam rindo de mim”, diz a estudante Maria Paula Miura, de 21 anos, que realizou a rinoplastia faz um ano. Segundo ela, quando era pré-adolescente, colegas de sala sempre faziam caricaturas dela com bico de tucano e colocavam em sua mesa.

Para Maria Paula, os problemas de respiração surgiram depois de ter decidido fazer a operação, nos exames pré-operatórios de tomografia dos seios da face, ultrassom e raio x. Depois de analisar os exames, a otorrinolaringologista a diagnosticou com desvio de septo para a esquerda, além de um crescimento anormal dos cornetos.


Fotos do antes e depois de uma rinoplastia

Arquivo pessoal

Para a jovem, o pós foi bem tranquilo. Ela conta que seu rosto não ficou muito roxo ou inchado e permaneceu apenas uma semana com o gesso no nariz e os pontos, tomando cuidado para fazer diversas compressas de camomila e gelo.

Sobre o resultado final, a estudante foi firme. “Eu amei, foi a melhor coisa que eu já fiz. Mexia muito com a minha autoestima”, e ainda completou: “É uma cirurgia séria, ainda mais no rosto, mas o resultado vale tanto a pena que eu acabei nem lembrando de qualquer perrengue do pós[-operatório]”. Ela conta que o que mais “deu trabalho” foi o inchaço e a perda de sensibilidade no nariz, que durou cerca de seis meses.

Dicas para se preparar para a cirurgia plástica

  • Confie no profissional

Tome um cuidado extra com a escolha do seu cirurgião. Ele vai escutar suas queixas e dizer o que é mais adequado para você. Estamos falando de uma área muito exposta, o rosto, portanto, tenha certeza de que o profissional é de sua confiança.

  • Tire todas as dúvidas possíveis

Não tenha medo de perguntar. Cirurgias são complexas e dificilmente o paciente sabe o que vai rolar de fato durante a operação, mas o fato é: quanto mais você souber sobre o procedimento, mais confiante e tranquilo você ficará. E lembre-se: não se limite a internet, o profissional está lá para te atender!

  • Cuide-se

Preste atenção nos cuidados que envolvem o pré-operatório e siga à risca as prescrições de seu médico. Grande ou pequeno, por motivos estéticos ou funcionais, uma cirurgia requer o máximo possível de cuidados.

  • Esteja preparada para o pós operatório

Não se frustre. Como já dito, os resultados não são imediatos. Saiba ter paciência e, assim como no pré-operatório, siga a risca o que o médico solicitar para que sua recuperação seja a mais rápida possível. 

Leia também: Após plástica no nariz, implante de silicone começa a “sair” do rosto de mulher

Independente de realizar a rinoplastia
para melhorar sua qualidade de vida, para melhorar sua autoestima ou até as duas coisas combinadas, é importante respeitar todos os processos para que a cirurgia plástica corra da melhor forma possível e você fique satisfeito com o resultado.

O artigo Como é a cirurgia? Dói? Vale a pena? Tire todas as dúvidas sobre a rinoplastia foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/minhasaude/2018-04-30/rinoplastia.html

Deixe uma resposta