Campanha de vacina contra a gripe é estendida para fora do público-alvo; entenda

Veja a matéria completa sobre Campanha de vacina contra a gripe é estendida para fora do público-alvo; entenda e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde desde o dia 17 de abril protege contra a gripe H1N1, H3N2 e influenza B

Shutterstock/Divulgação

Com 76,7% do público-alvo vacinado, o Ministério da Saúde resolveu abrir para toda a população a oferta gratuita de vacinação contra a gripe. As vacinas estarão disponíveis a partir desta segunda-feira (5) e até a próxima sexta-feira (9), ou até quando durarem os estoques. 


Leia também: Conheça as principais características da gripe

Essa é a primeira vez que a campanha de vacinação contra a gripe
atinge toda a população. A medida foi adotada porque ainda há um estoque disponível de 10 milhões de doses e os grupos prioritários não compareceram em peso nos postos de vacinação, mesmo com a prorrogação do fim da campanha.

A meta inicial era de vacinar 90% do público-alvo, mas, até o momento, nenhum grupo prioritário atingiu o índice, que inclui crianças de 6 meses a menores de 5 anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou outras condições clínicas especiais; e professores.

Mesmo que a vacina
agora esteja disponível para toda a população, em todas as faixas etárias, o ministério alerta sobre a importância do público-alvo ainda se imunizar para evitar a gripe e seus possíveis agravamentos.

Além disso, o Ministério da Saúde
ressaltou que a ampliação do público nesta última semana da campanha ocorrerá porque ainda há doses disponíveis. O Amapá é o único estado que atingiu a meta até este momento, com 95,6% do público-alvo vacinado.

São Paulo

A orientação do Ministério da Saúde, de disponibilizar a vacina para toda a população passa pelo crivo, porém, dos estados e municípios, que têm autonomia para decidirem se querem ou não seguir a orientação da pasta. 

Os estados de Alagoas, Amapá, Ceará, Pernambuco e São Paulo decidiram, por enquanto, não liberar a vacina pelo Sistema Único de Saúde.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, o estado vai manter o recorte de público-alvo e a vacina, neste estado, não estará disponível para toda a população.


Leia também: São Paulo registra 137 mortes por H1N1 entre janeiro e julho deste ano

“São Paulo tem mais de 44 milhões de habitantes e, portanto, uma eventual ampliação de públicos depende do envio de quantitativos extras”, afirmou a secretaria. No momento, o estado dispõe de cerca de 3,6 milhões de doses.

Os estados que já confirmaram a liberação foram Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Maranhão, além do Distrito Federal. Os demais não decidiram ainda a sua posição.

Vacina da gripe

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B).

Segundo a pasta, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.


Leia também: Pais encontram aranha escondida dentro de ferimento na perna da filha

De acordo com o ministério, é fundamental que as pessoas se vacinem neste momento para estarem protegidas durante o inverno, quando os diversos vírus da influenza começam a circular com maior intensidade. Após a vacina contra a gripe, o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção.

O artigo Campanha de vacina contra a gripe é estendida para fora do público-alvo; entenda foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-06-05/contra-gripe-vacina.html

Deixe uma resposta