Caminhar por 25 minutos todos os dias pode evitar demência, diz estudo

Veja a matéria completa sobre Caminhar por 25 minutos todos os dias pode evitar demência, diz estudo e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Caminhar por três horas durante a semana  melhora o fluxo sanguíneo cerebral e evita demência

Thinkstock/Getty Images

Conhece o ditado “melhor prevenir do que remediar”? Pois essa é uma dica importante e que precisa ser levada em conta, principalmente quando o assunto é saúde. Se você é daqueles que se preocupa com o corpo, melhor separar pelo menos 25 minutos do seu dia para uma caminhada, já que segundo um novo estudo canadense, esse hábito poderia te livrar dos efeitos debilitantes da demência.

Leia também: Consumo diário de refrigerante diet pode triplicar risco de demência ou derrame

A pesquisa envolveu um grupo de 38 adultos com comprometimento cognitivo vascular (CCV), conceito que engloba demência
e todas as formas e níveis de gravidade de comprometimento cognitivo causados por acidente vascular encefálico (AVE) ou acidente vascular cerebral (AVC), e é a segunda causa mais comum da doença, perdendo apenas para os casos de Alzheimer.

O estudo apontou que aqueles que fizeram algumas caminhadas rápidas durante a semana, completando três horas no total – aproximadamente 25 minutos por dia-, apresentaram uma melhora na função cerebral depois de seis meses, conforme informou a equipe canadense no British Journal of Sports Medicine.

Apesar de utilizarem pessoas com alguma disfunção cerebral em seus testes, os pesquisadores afirmaram que a análise também sugere que caminhadas rápidas regulares poderiam reduzir o risco de desenvolver comprometimento cognitivo vascular.

Caminhar exercita o cérebro

O cérebro é um órgão altamente metabólico e para mantê-lo saudável é preciso um bom fluxo sanguíneo para fornecer nutrientes e oxigênio necessários aos seus tecidos.

Por isso, o exercício aeróbio beneficia não só o coração, e outras partes do corpo, como também o cérebro, por aumentar os fatores de crescimento, que são substâncias feitas pelo organismo que promovem o crescimento celular, a diferenciação e a sobrevivência.

“Está bem estabelecido que o exercício aeróbio regular melhora a saúde cardiovascular e a saúde cerebrovascular”, afirmou Teresa Liu-Ambrose, autora principal do estudo. “Mais especificamente, reduz o risco de desenvolver condições crônicas, como pressão alta, diabetes tipo 2 e colesterol alto”, completou ela.

Leia também: Mal de Alzheimer é o tipo mais comum de demência, mas não o único

Adultos com CCV foram avaliados

Teresa é pesquisadora do Laboratório de Envelhecimento, Mobilidade e Neurociência Cognitiva da Universidade da Colúmbia Britânica em Vancouver. Para realizar o estudo, ela e sua equipe de pesquisa escolheram, aleatoriamente, adultos com CCV leve e os dividiram em dois grupos.

Um grupo seguiu um programa de treinamento aeróbico, composto por três aulas de uma hora por semana durante seis meses, enquanto o outro grupo continuou com seus cuidados habituais.

Além disso, ambos os grupos receberam informações sobre comprometimento cognitivo vascular e dicas para manter uma dieta mais saudável.

Antes do início do programa de exercícios e no final de seis meses, todos os participantes também passaram por varreduras funcionais de ressonância magnética e outros testes que mediram a atividade neural e capacidade cognitiva.

As pessoas no grupo de treinamento aeróbio tiveram melhorias significativas em seus tempos de reação nos testes cognitivos e mostraram mudanças em sua atividade cerebral, tornando-os mais semelhantes aos cérebros saudáveis. Já a outra metade de pessoas estudadas não apresentou alterações.

“Embora seja necessária outras investigações e testes para entender melhor como os exercícios melhoram a saúde cerebral e quais fatores podem afetar o grau de benefício observado, as recomendações negativas sobre a prática de exercício são mínimas”, afirmou a pesquisadora.

Mesmo sem a comprovação exata de que a caminhada, ou qualquer outro exercício aeróbico feito durante três horas por semana evita problemas como a demência, a mudança nos pacientes estudados foi significativa, o que encoraja a prática para prevenir doenças.

Leia também: 10 sinais de que você pode estar sofrendo um AVC

O artigo Caminhar por 25 minutos todos os dias pode evitar demência, diz estudo foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-06-07/demencia-evitada-com-caminhada.html

Deixe uma resposta