Britânico registra "pior caso" de gonorreia do mundo, afirmam especialistas

Veja a matéria completa sobre Britânico registra "pior caso" de gonorreia do mundo, afirmam especialistas e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Usar preservativos na relação sexual, seja ela oral, anal ou vaginal, é o melhor meio para se prevenir gonorreia

shutterstock

Apesar de a Organização Mundial da Saúde já ter alertado sobre aumento de casos de supergonorreia pelo mundo
, um em específico está chamando a atenção dos médicos na Inglaterra. Um britânico foi diagnosticado com um tipo grave de gonorreia
, considerado pelos especialistas como o “pior caso” já registrado da doença. 

De acordo com o Serviço de Saúde Pública da Inglaterra, o homem com gonorreia
, cujo nome foi preservado, é heterossexual e estava em uma relação estável com uma parceira. No entanto, ele foi infectado por uma “superbactéria” no início do ano, quando teve um caso com uma mulher do sudeste asiático.

Os sintomas demoraram um mês para aparecer, quando o serviço de saúde do país foi acionado pelo paciente. Ao tentar ser tratado com os medicamentos tradicionais para cuidar do caso, que envolve uma combinação de azitromicina e ceftriaxona, os médicos perceberam que a bactéria presente em seu organismo, a Neisseria gonorrhoeae, era resistente aos dois antibióticos.

Segundo o serviço de saúde, até então, nunca foi reportado nenhum caso semelhante que envolvesse rejeição aos dois antibióticos
como esse. Por isso, a vida sexual do paciente está sendo investigada, com rastreamento de parceiros que poderiam estar possivelmente contaminados e propagando a condição. De acordo com as informações do órgão, aparentemente a parceira do paciente não foi infectada.

“Esta é a primeira vez que um caso (de gonorreia) exibiu tão alto nível de resistência a ambos remédios e também à maior parte dos outros antibióticos comumente usados”, comentou Gwenda Hughes, cientista consultora e chefe da Seção de Infecções Sexualmente Transmissíveis do Serviço de Saúde Pública da Inglaterra.

Tratamento

Testes realizados no homem mostraram que a supergonorreia
poderia ser combatida com apenas um antibiótico, o espectinomicina. Então, o tratamento passou a ser feito em conjunto com outro antibiótico, o ertapenem, de uma classe conhecida como carbapenemas, que normalmente atua para eliminar bactérias superessistentes. Ainda é aguardado o resultado de uma nova avaliação para ver se o tratamento teve sucesso.

“Estamos acompanhando este caso para assegurar que a infecção foi efetivamente tratada com as outras opções e o risco de transmissão tenha sido minimizado”, acrescentou Gwenda. “Mas em primeiro lugar é melhor evitar pegar ou passar a gonorreia, e todo mundo pode reduzir significativamente seu risco com o uso consistente e correto de camisinhas com todos os novos e eventuais parceiros sexuais.”

Leia também: Sífilis, gonorreia e clamídia estão se tornando resistentes a antibióticos

Gonorreia


Casos de supergonorreia já foram detectados no Japão, França e Espanha

Shutterstock/Divulgação

Se não for tratada, a gonorreia pode causar infertilidade, doença inflamatória pélvica, gravidez ectópica e o aumento no risco de contrair HIV. Cerca de 78 milhões de pessoas contraem a DST por ano, conforme divulgou a OMS.

A doença afeta os órgãos genitais – produzindo uma secreção verde ou amarela, o reto e a garganta.  Esse último local é atingido por conta da prática do sexo oral sem camisinha.

Leia também: Na ONU, países se comprometem a agir sobre a resistência a antibióticos

A relação sexual sem proteção é o principal fator de risco, portanto, é de extrema importância o uso da camisinha durante todas as práticas de sexo para a prevenção dessa e de outras DSTs, já que, em algumas pessoas, os sinais da infecção podem não ser tão claros, ou simplesmente não aparecerem.

Veja aqui quais são os principais sintomas da doença:

No pênis

  • Dor e ardência ao urinar; 
  • Secreção abundante de pus pela uretra; 
  • Dor ou inchaço em um dos testículos. 

Na vagina

  • Maior fluxo do corrimento vaginal, que pode ser apresentado com cor amarelada e odor desagradável; 
  • Dor e ardência ao urinar; 
  • Sangramento fora do período menstrual; 
  • Dores abdominais; 
  • Dor pélvica. 

Em outras partes do corpo

  • Reto: coceira na região anal, secreção de pus e sangramentos; 
  • Olhos: dor, sensibilidade à luz, secreção de pus em um ou nos dois olhos; 
  • Garganta: dor, dificuldade para engolir e presença de placas amareladas; 
  • Articulações: vermelhidão, inchaço e dor.

De acordo com a OMS , um em cada dez homens e quase metade das mulherescom gonorreia
não sofrerão nenhum sintoma. Mesmo assim, há algumas características que requerem atenção especial e, caso alguma delas seja identificada, o recomendado é buscar ajuda médica.

Leia também: Aplicativos gays para buscar parceiro elevam risco de DST, diz estudo

O artigo Britânico registra "pior caso" de gonorreia do mundo, afirmam especialistas foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/minhasaude/2018-03-29/gonorreia-supergonorreia-pior-caso-do-mundo.html

Deixe uma resposta