Bancos de sangue estão 60% abaixo do nível ideal, diz Fundação Pró-Sangue

Veja a matéria completa sobre Bancos de sangue estão 60% abaixo do nível ideal, diz
Fundação Pró-Sangue e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, estar saudável e apresentar um documento de identificação

Shuttersock

No Dia Mundial do Doador de Sangue, que é celebrado nesta quarta-feira (14), a Fundação Pró Sangue elaborou uma ação para lembrar a população paulistana sobre a data e a importância do ato, que pode salvar muitas vidas.

Leia também: Ainda dá tempo: campanha de vacinação contra gripe é prorrogada em São Paulo

Segundo o órgão, mesmo com o aumento de doações de sangue
nos últimos meses devido à campanhas e divulgações, a tendência é que agora, no inverno, haja uma queda gradativa na coleta e os estoques estão sofrendo, com as reservas 60% menores do que o patamar ideal exige.

A época do ano influencia, segundo a médica da Fundação Pró-Sangue Selma Soriano, que afirma ser na primavera a estação que a instituição mais recebe doadores. “No inverno, as gripes e os resfriados afastam o doador. No verão, o calor incomoda e as pessoas se desidratam mais. Além disso, há as férias de empresas e escolares, o que tira a prioridade das pessoas em doar sangue”, disse ela.

Hoje, a fundação abastece 100 instituições de saúde da rede pública estadual. Mas, de acordo com a quantidade armazenada, só haveria condições de suprir os hospitais por apenas dois dias. Entre os tipos sanguíneos mais escassos, estão, em ordem de prioridade, o O+, A+, O-, B- e A-.

Doar sangue é ato de cidadania

Segundo a médica, a baixa nos estoques de sangue é uma preocupação mundial e que, no Brasil, apenas de 1,7% a 1,9% da população faz doações. Se considerar apenas o estado de São Paulo, o índice é de 2,1%.

Leia também: Governo cria plataforma que dá dicas personalizadas de como ser mais saudável

Para Selma, esses dados são relacionados ao fato de que a população ainda não encara que a doação de sangue é um ato de cidadania e deveria ser um hábito. “Teria que haver a doação de sangue regular de duas a três vezes por ano por indivíduo. Por outro lado a demanda de sangue precisa ser melhor analisada. Quando o médico vai usar a transfusão de sangue, ele tem que pensar em estratégia”, considera ela.

No mês passado, o banco recebeu 14 mil voluntários para doar sangue, o que rendeu 11.860 bolsas. Há dez anos, no mesmo período, a coleta foi de 18 mil bolsas. Mesmo com a queda, a médica comemora. “Foi o primeiro mês que conseguimos chegar a quase 12 mil que é o que precisamos. Faz mais de três anos que nós não conseguimos manter os estoques suficientes e temos sempre que pedir à população, além de fazer o manejo dos estoques”, ressaltou Selma.

A cada doador, pode-se contabilizar que até quatro pessoas serão beneficiadas. Em média, cerca de 3,5 milhões de brasileiros realizam transfusões de sangue por ano. No total, existem no país 27 hemocentros e 500 serviços de coleta.

Para doar sangue o voluntário precisa passar por uma triagem na qual é aplicado um questionário de 60 perguntas com desdobramentos que podem totalizar 120 questões ao final. Todo este rigor é importante para dar segurança tanto para o receptor quanto para o doador. 

Vale ressaltar que o sangue é um recurso fundamental tanto para tratamentos planejados como para intervenções urgentes. A substância ajuda pacientes que sofrem de doenças crônicas graves, como a doença falciforme e a talassemia, além de servir de apoio para procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. O líquido também é vital para tratar feridos em emergências.

Ação voluntária

Atualmente, no Brasil quem doa sangue tem direito a uma folga no trabalho, conforme prevê a lei, desde que o doador apresente a documentação que certifique o ato. No entanto, a Fundação Pró-Sangue lembra que essa ação não deve ser encarada como um benefício próprio, e sim como um gesto altruísta e voluntário.

Em alguns países, há a doação remunerada, além daquelas doações por reposição, quando o doador faz a doação em nome de algum paciente. Em território nacional não existe doação remunerada. Em 2015, 61,25% das doações foram voluntárias e 38,17% foram para reposição.

No Brasil e no mundo

A comemoração do Dia Mundial do Doador de Sangue acontece nesta quarta-feira no mundo todo. A data foi escolhida para aumentar a conscientização quanto à necessidade da doação e também para agradecer aos doadores. Criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), neste ano, a campanha virá com a questão “O que você pode fazer? Doar sangue. Doar agora. Doar regularmente”, para incentivar e reiterar a necessidade da doação frequente. O anfitrião do evento global em 2017 é o Vietnã, por meio de seu Instituto Nacional de Hematologia e Transfusão de Sangue, e na região das Américas, a sede da celebração será o Organismo Andino de Saúde, em Lima, no Peru.

No Brasil, alguns monumentos e prédios estão decorados com a cor vermelha, simbolizando o apoio à causa. Estados como São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás e Santa Catarina já fazem suas homenagens ao dia especial, e também promovem atos para convidar a população a irem até os centros de doações.

Veja quais são os requisitos para ser um doador

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter mais do que 16 anos (e até os 18 anos é necessário apresentação de documentos para autorização), e menos do que 69 anos, e a primeira doação precisa ter acontecido até os 60 anos;
  • Pesar no mínimo 50 quilos;
  • Estar descansado, dormindo pelo menos seis horas nas últimas 24 horas;
  • Apresentar documento original com foto;

Casos que impedem a doação 

  • Evidências de Hepatites B e C, Aids, doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • Malária;
  • Hepatite (consultar condições);
  • Resfriado (esperar sete dias);
  • Gravidez, 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • Ingestão de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;
  • Tatuagem ou maquiagem definitiva nos últimos 12 meses;
  • Risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis (esperar 12 meses);
  • Qualquer procedimento endoscópico (aguardar 12 meses);
  • Extração dentária ou tratamento de canal (esperar 7 disa);
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral (aguardar 4 semanas);
  • Acupuntura (verificar condições)
  • Vacina contra gripe nas últimas 48 horas;
  • Herpes labial ou genital (esperar até desaparecimento total das lesões);
  • Herpes Zoster (esperar seis meses da cura);
  •  Viagens para Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins (aguardar 12 meses);

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Em seis anos, indústria retira mais de 17 mil toneladas de sal dos alimentos

O artigo Bancos de sangue estão 60% abaixo do nível ideal, diz
Fundação Pró-Sangue foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-06-14/doacao-sangue.html

Deixe uma resposta