Aliados do treino: entenda a função de cada tipo de suplemento alimentar – em Nutrição

Antes de apostar nesses parceiros do treino, é importante conhecê-los e saber a função de cada um! Confira um guia com tudo que você precisa saber sobre cada tipo de suplemento alimentar!

Texto Karine César | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira

Usando corretamente, os suplementos alimentares podem ajudá-la a conquistar o seu objetivo, seja ele emagrecer ou tonificar os músculos. Mas antes de apostar nesses parceiros, é preciso conhecê-los e saber a função de cada um:

L-Carnitina

É um nutriente sintetizado a partir de um aminoácido essencial, a lisina, que já está presente em nosso corpo naturalmente. Participa ativamente do metabolismo das gorduras, auxiliando no emagrecimento e no controle do colesterol. Funciona assim: como a gordura por si só não consegue passar por determinadas membranas, a carnitina a torna permeável, fazendo que ela entre na célula, produzindo energia.  Uma pesquisa da Universidade de Nottingham, na Inglaterra, provou que mais lipídios eram utilizados quando a pessoa consumia L-carnitina. Apesar disso, muitos profissionais e até a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) questionam a ausência de mais estudos.

→ Indicado para: pessoas que buscam a diminuição do percentual de gordura ou mais desempenho no esporte.  
→ Como deve ser consumido: uma dose 30 minutos antes do treino.

Creatina

Proveniente da proteína de origem animal, estudos demonstram que a substância pode melhorar o desempenho de pessoas em atividades que requerem explosões rápidas de energia e auxiliar na recuperação muscular. “Além disso, ela exerce um papel metabólico que melhora a ressíntese de proteína, acelerando o ganho de massa muscular”, ressalta Alessandra Luglio, nutricionista e especialista em nutrição esportiva, de São Paulo (SP).

→ Indicado para: quem quer aumentar a definição corporal e treinar por mais tempo e com mais força.
→ Como deve ser consumido: depende da intensidade e da modalidade esportiva praticada. Mas, geralmente, é aconselhada uma dose ao dia. O horário também pode variar de acordo com o objetivo e a análise na dieta da praticante.


BCAA

São conhecidos como aminoácidos de cadeia ramificada (leucina, valina e isoleucina). Como não são fabricados pelo nosso corpo, eles precisam ser adquiridos por meio da alimentação ou da suplementação. Esses três aminoácidos exercem um papel importante no processo regenerativo dos músculos e possuem função anticatabólica. Durante treinos intensos e prolongados, devido à demanda de energia e à falta de abastecimento, o corpo passa a utilizar proteínas (massa muscular) como fonte de energia. Por isso, o BCAA é importante para evitar que isso aconteça. “Há estudos que mostram também seu benefício no controle da fadiga central”, completa Patrícia Bertolucci.

→ Indicado para: pessoas que praticam exercícios aeróbicos por longos períodos, como corrida e ciclismo.
→ Como deve ser consumido: antes, durante e/ou depois dos treinos.

Whey Protein 

Obtido por meio do soro do leite, possui alta concentração de aminoácidos essenciais, importantes para o metabolismo proteico.  Ou seja, além de aumentar a massa muscular, ele ajuda a evitar a queima de músculos quando você está se exercitando. “Em comparação às outras proteínas, é a com menor estrutura molecular e, por isso, é absorvida mais rapidamente pelo organismo”, comenta Alessandra Luglio. Os isolados e hidrolisados apresentam maior concentração de proteína por dose e normalmente são livres de qualquer outro tipo de nutriente,  como carboidratos e gorduras.  Já os concentrados misturam o whey com outras proteínas.

→ Indicado para: aumentar a massa muscular, resistência e definição.
→ Como deve ser consumido: logo depois do treino, não deixando ultrapassar uma hora.

Caseína 

Ela vem do leite, porém, sua estrutura é muito complexa, o que faz que a absorção seja mais lenta. “Como é liberada gradualmente no sistema, é bastante utilizada na prevenção do catabolismo, onde os músculos são utilizados como fonte de energia. Enquanto o whey tem tempo de metabolização de duas a três horas, a caseína é processada durante sete horas, em média”, explica Charles Santos, personal trainer e especialista em nutrição e suplementação, de São Paulo (SP).

→ Indicado para: quem faz treino de alta intensidade com o objetivo de ganhar massa magra.
→ Como deve ser consumido: a quantidade varia de acordo com a pessoa, mas pode ser de 30 a 60 g. Alguns estudos e nutricionistas recomendam seu uso à noite, antes de dormir, para prevenir que o cortisol leve à degradação muscular natural.

LA 

O óleo de cártamo surgiu no mercado com o propósito de substituir o CLA (ácido linoleico conjugado), que teve sua comercialização no Brasil proibida pela Anvisa, por não haver comprovação científica da sua segurança. Muito utilizado para auxiliar no emagrecimento, especialmente pela redução de gordura corporal, em teoria, o uso dele associado ao exercício acelera a entrada da gordura nas células, melhorando a sua queima. Como o óleo de cártamo é rico em ácido linoleico, ele também agiria da mesma maneira. O óleo estimularia a quebra de gordura (lipólise) e faria que o organismo a utilizasse como fonte de energia.

→ Indicado para: queimar gordura corporal.
→ Como deve ser consumido: uma dose do produto 30 minutos antes da atividade física.

Quer conferir mais sobre nutrição? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

O artigo Aliados do treino: entenda a função de cada tipo de suplemento alimentar – em Nutrição
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/nutricao/aliados-do-treino-entenda-a-funcao-de-cada-tipo-de-suplemento-alimentar/12088

Deixe uma resposta