Aborto espontâneo: como recuperar os traumas do corpo e da mente – em Mulher de Corpo

O trauma do aborto espontâneo deixa suas marcas no corpo e na mente. É possível engravidar depois? Como curar a tristeza? Especialistas comentam

Texto Vand Vieira | Edição Giuliana Cury | Adaptação Ana Araujo



Como fica o corpo e a mente após o aborto espontâneo

Corpo e mente sofrem após um aborto espontâneo

Foto: Shutterstock

Como fica o corpo após o aborto espontâneo?

Até por volta de sete semanas, é provável que o próprio organismo elimine o feto e os resquícios da placenta em um processo parecido com a menstruação que dura mais ou menos 21 dias. Eis a importância do absorvente ao longo desse período – dê preferência ao convencional. Copinho e as versões de uso interno podem facilitar a entrada de bactérias no cérvix (colo do útero). Ibuprofeno, um anti-inflamatório, costuma ser utilizado e seu efeito analgésico ajuda a amenizar as cólicas. Agora, se isso não acontece naturalmente, geralmente quando a gravidez está em um estágio mais avançado, é necessário fazer uma curetagem, procedimento que consiste na dilatação do cérvix após anestesia a fim de promover essa limpeza interna. Depois da próxima menstruação, já é possível engravidar novamente, mas não sem antes receber cartão verde do seu ginecologista, ok?

>> Conheça 8 fatores de risco para aborto espontâneo

Como fica a mente após o aborto espontâneo?

Tão comum quanto passar por uma sequência de choque, negação e tristeza, independentemente do momento em que o aborto aconteceu, é ser engolida por esse turbilhão de emoções negativas. Resultado? Uma depressão profunda e feridas que nem mesmo o tempo ou uma gestação bem-sucedida conseguem apagar. “Muitas mulheres demoram a anunciar que estão grávidas para que ninguém saiba se algo der errado. Isso demonstra que a vergonha e a sensação de ser incapaz de gerar um filho ainda são um tabu”, destaca Yuri Busin, psicólogo e diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental – Equilíbrio (CASME), de São Paulo. Há também quem se sinta culpada por achar que não está sofrendo o suficiente. De um jeito ou de outro, o ideal é evitar situações que causem desconforto – um chá de bebê, por exemplo –, tentar não se isolar enquanto está se recuperando e investir em sessões de terapia.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 328

Assine já a CORPO e garanta 6 meses grátis de outro título

O artigo Aborto espontâneo: como recuperar os traumas do corpo e da mente – em Mulher de Corpo
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/blogs/mulher-de-corpo/aborto-espontaneo-como-recuperar-os-traumas-do-corpo-e-da-mente/10323

Deixe uma resposta