Dicas para não engordar na Páscoa – em Nutrição

Veja seis dicas para passar ilesa pelo feriado e não engordar na Páscoa



chocolate

Na Páscoa, dá para comer chocolate, sim, mas sem exageros
Foto: Danilo Borges

A Páscoa está chegando e junto, vem o chocolate, as massas e um monte de tentações que levam à compulsão alimentar. Para resistir aos delírios, veja seis dicas para não engordar na Páscoa:

1. Tradição ao seu favor


A tradição católica diz que não é permitido ingerir carne vermelha, ou seja, é a época ideal para aproveitar e investir em peixes (ricos em Ômega-3) e carnes leves.

2. Conviva com o inimigo
Dá para comer chocolate sem medo de ser feliz, sim. Só não precisa exagerar. Se a vontade bater, coma, mas devagar. Uma pesquisa realizada na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, apontou que as pessoas que consomem chocolate com frequência e em pequenas quantidades tendem a ter um índice de massa corporal mais baixo.

3. Além do chocolate
Se quer evitar o chocolate, já deixe claro para todos que poderão presentear com o doce, que a última coisa que quer ver na frente é um ovo de Páscoa. Peça presentes que simbolizem a Páscoa (cremes ou, perfumes com essência de chocolate, etc).

 

 


4. Invista nas frutas
A sobremesa da Páscoa e o protagonista da data são os ovos de chocolates. Por isso, nem se preocupe com a sobremesa e troque o velho sorvete, ou mouse da vovó, por uma salada de frutas.

5. Na dúvida, vá de salada
Se o banquete for farto, com massas e tudo que existe de mais gorduroso na Páscoa, corra para o pratão se salada acompanhado de um peixe leve.

6. Amigo secreto
Se a família é grande, não se preocupe com a quantidade de ovos que pode ganhar. Faça um amigo secreto de Páscoa, assim, além de economizar nos ovos, você ganhará apenas uma tentação.

O artigo Dicas para não engordar na Páscoa – em Nutrição
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/nutricao/dicas-para-nao-engordar-na-pascoa/2116

Treino para quem quer começar a correr e emagrecer – em Clube da Corrida

 



corrida-texto

O treino de corrida é dividido em duas fases: até 5 km, para as iniciantes e até 10 km,
para as experientes e quem já completou o primeiro ciclo
Foto: Caio Mello

Este treino de corrida para iniciantes é composto de duas partes: na primeira, a planilha de quatro semanas a fará completar seus primeiros 5 km. Na segunda, o treino a deixará apta a finalizar os 10 km. Para nos ajudar, convidamos Mário Sérgio Andrade Silva, diretor técnico da Run & Fun (SP). Foi ele quem elaborou as planilhas que você seguirá nos próximos dois meses.

“O importante é correr sempre dentro da frequência cardíaca para que os resultados sejam mais eficazes”, recomenda Mário Sérgio. O treinamento também foi pensado para ser praticado tanto na rua (parques) quanto na esteira.

Por isso, não há desculpas. No entanto, para quem optar pela esteira, Mário Sérgio aconselha um rodízio entre os pisos. “Pelo menos uma vez na semana, a pessoa deve fazer um treino na rua para ir se adaptando às variações do terreno. Isso aumenta o que chamamos de propriocepção (consciência corporal) e fortalece os membros inferiores, evitando lesões.” Mas antes de sair calçando o tênis, lembre-se que é preciso passar por uma avaliação médica!

Calcule a frequência cardíaca máxima (FCM)

Subtraia a idade de 220 batimentos por minuto (BPM) e multiplique o resultado pelas porcentagens indicadas em cada tipo de treino.

Exemplo de cálculo para uma pessoa de 25 anos: 220 – 25 = 195 x 0,50 (de 50%, que é o mínimo para a caminhada lenta) = 97 BPM

220 – 25 = 195 x 0,65 (de 65%, que é o máximo para a caminhada lenta) = 126 BPM

Avaliação clínica

Antes de iniciar qualquer atividade física, é importante realizar alguns exames essenciais. Apenas o médico pode solicitar o check-up. O profissional de educação física não está habilitado para isso. Então, marque uma consulta com seu médico. Nabil Ghorayeb, cardiologista e responsável pelo Sport Check-Up do Hospital do Coração de São Paulo (HCor), fala sobre alguns exames que são solicitados nesse caso.

Eletrocardiogram: é o exame mais importante e o primeiro a ser pedido. Por ele é possível identificar alguma arritmia cardíaca ou problemas cardiovasculares mais graves 

Hemograma completo: analisa os principais tipos de células sanguíneas, ou seja, glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. O objetivo é diagnosticar algumas doenças, como anemia. 

Teste de glicemia: este exame identifica o nível de açúcar no sangue e aponta uma possível doença, como a diabete. 

Teste ergométrico: também conhecido como teste de esforço. É realizado sobre uma esteira em movimento e procura avaliar o comportamento cardíaco durante um esforço progressivo, verificando o grau de condicionamento físico da praticante. 

Teste ergoespirométrico: este exame avalia, além do comportamento cardíaco, a parte respiratória. Ou seja, o ar espirado durante o teste progressivo de esforço fornece algumas informações sobre o comportamento funcional durante o exercício. Ele não é um exame essencial. Normalmente, só é pedido em casos em que a praticante precisa conhecer detalhes para melhorar o desempenho.

 

O artigo Treino para quem quer começar a correr e emagrecer – em Clube da Corrida
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/blogs/clube-da-corrida/treino-para-quem-quer-comecar-a-correr-e-emagrecer/2114

Óleo de cártamo ajuda a emagrecer e diminui a celulite – em Nutrição

Tire suas dúvidas sobre o óleo de cártamo, que emagrece e elimina a celulite

Reportagem: Helena Dias



óleo de cártamo

Óleo de cártamo ajuda a reduzir a gordura da barriga
Foto: SXC

O óleo de cártamo circula há um bom tempo no mercado, mas ainda restam dúvidas sobre seus benefícios: ele emagrece? Segundo algumas pesquisas, sim! Os estudos mostram que o óleo de cártamo reduz, principalmente, a gordura da barriga. “O óleo de cártamo diminui o apetite e promove a sensação de saciedade. Dessa forma, “obriga” o organismo a utilizar a gordura acumulada como combustível. No entanto, o consumo deve ser acompanhado por uma dieta balanceada e da prática de exercícios físicos“, afirma Patricia Buyo, nutricionista da Rede Kalmma de Spa (SP).

Além de reduzir o apetite, o óleo de cártamo contém ácido linoléico, uma substância que retarda a liberação de gordura para as células. Outra vantagem são as propriedades anti-inflamatórias do produto, que ajudam a diminuir a celulite e a retenção de líquido.

Benefícios do óleo de cártamo para a saúde

Fora os benefícios que ele traz para a balança, ainda faz bem à saúde, pois aumenta a massa magra, o HDL (bom colesterol), reduz o risco de arteriosclerose e previne e trata a diabetes tipo 2. O óleo de cártamo é um potente antioxidante rico em vitamina E, que protege as células.

Como consumir?
Pode ser utilizado como óleo de cozinha, em molho para salada ou como suplemento nutricional. Em cápsulas, tomar duas vezes ao dia, meia hora antes das principais refeições.

O artigo Óleo de cártamo ajuda a emagrecer e diminui a celulite – em Nutrição
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/nutricao/oleo-de-cartamo-ajuda-a-emagrecer-e-diminui-a-celulite/2112