Método Barre Fit: conheça o treino que ajuda a garantir um corpo de bailarina – em Treino sob medida

Por Ana Paula Ferreira | Fotos Divulgação

O corpo das bailarinas é realmente impressionante, né? Postura ereta, músculos tonificados e membros alongados são algumas das características que elas ostentam por aí. Mas já pensou conquistar esse mesmo resultado sem precisar se tornar dançarina? Essa é a proposta do método Barre Fit, que reúne na mesma aula princípios do balé clássico, da yoga, do pilates e da fisioterapia. 

Tendo a barra como principal elemento de suporte para os exercícios, o treino trabalha principalmente as áreas do bumbum, pernas e abdômen, além de promover um alto gasto calórico. De acordo com Jacqueline Ruscitto, proprietária da marca Barre Fit e professora no Khora Centro de Bem-Estar, em São Paulo, as sequências priorizam a resistência, com muitas repetições e pouca carga. “A gente chega a fazer 50 vezes um movimento, mas os pesinhos que usamos não têm mais de um quilo.” 


Já a influência do balé clássico é vista no trabalho de equilíbrio, consciência corporal, flexibilidade e tônus muscular. “São movimentos que fortalecem o core. Mas, não duvidem, o barre trabalha o corpo todo, inclusive braços.” A aula conta ainda com exercício de isometria e fases de alta frequência cardíaca. 

Como surgiu

O Barre Fit foi baseado no trabalho desenvolvido pela bailarina alemã Lotte Berk em 1950, quando ela deu às mulheres que não pretendiam se dedicar à dança uma oportunidade de ter o físico de uma profissional. “Sobre as bases de Berk, cada professor pode moldar o estilo das aulas”, explica Jacqueline. “Eu, por também ter formação em pilates, uso os princípios do método a favor da organização postural e muitos acessórios como a mini bola, o anel (magic circle) e halteres leves, e também utilizo outros acessórios mais comuns na ginástica funcional como a rodinha de exercícios e diversos tipos de elásticos”, completa.

O artigo Método Barre Fit: conheça o treino que ajuda a garantir um corpo de bailarina – em Treino sob medida
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/fitness/fitness/treino-sob-medida/metodo-barre-fit-conheca-o-treino-que-ajuda-a-garantir-um-corpo-de-bailarina/12259

Até o fim de 2018, todos vão acessar dados do SUS pelo celular, garante ministro

Veja a matéria completa sobre Até o fim de 2018, todos vão acessar dados do SUS pelo celular, garante ministro e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Usuários do SUS poderão cancelar consultas pelo celular e acessar outros dados através do smartphone

DOUGLAS MAGNO – 18.7.2012

Até o fim de 2018 todas as unidades básicas do Sistema Único de Saúde (SUS) serão informatizadas. A fim de melhorar a qualidade dos serviços prestados à população, a medida também irá ajudar a reduzir gastos e dar maior segurança aos dados dos pacientes.

Leia também: Usuários do SUS terão aplicativo que aponta melhor local para marcação de exames

A notícia foi confirmada nesta terça-feira (12) pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. A promessa é de que o governo irá ajudar as prefeituras a equipar cerca de 40 mil unidades básicas do SUS
em um ano para que os prontuários passem a ser digitais.

Com a implementação da tecnologia, os médicos poderão acessar os dados dos pacientes através de um smartphone, e os próprios usuários do SUS poderão verificar consultas agendadas, cancelar agendamentos, o que ajuda a evitar desperdícios de recursos públicos já que, de acordo com Barros, atualmente, 30% das pessoas não comparecem às consultas na data marcada.

De acordo com o site do Departamento de Informática do SUS (DataSus), 35% das 42.495 unidades básicas de saúde
(UBS) em funcionamento no país já utilizam o prontuário eletrônico para transmitir seus dados de atendimento. Essas unidades, que somam 15.488 UBS, cobrem 3.070 dos 5.570 municípios brasileiros.

Responsabilidade das prefeituras

No dia 8 de novembro, o Ministério da Saúde lançou o edital para as prefeituras interessadas em aderir ao Programa de Informatização das UBS. Dessa forma, é possível que empresas das cinco regiões do país, aptas a oferecer às prefeituras o suporte necessário à implantação de prontuários eletrônicos, se cadastrem.

Leia também: Unidades Básicas de Saúde terão conexão Banda Larga ampliada

“Já credenciamos centenas de empresas [dentre as quais] os prefeitos poderão escolher uma para instalar, no município, os tablets, computadores e a conectividade; qualificar os servidores e implementar a biometria de pacientes e dos servidores”, afirmou Barros, garantindo que, quando finalizada, a inovação facilitará o acesso dos profissionais e dos próprios pacientes aos seus dados.

O ministério repassará às prefeituras entre R$ 4 mil e R$ 7 mil mensais por unidade básica a ser informatizada. As cidades cujas UBS já estiverem informatizadas poderão pleitear até 50% dos valores para manter os serviços já existentes. Já para aquelas ainda não foram informatizadas, a pasta pagará à empresa fornecedora dos serviços o valor total contratado, descontando até 50% deste do Piso da Atenção Básica destinado ao município.

Produtividade

Outro dado em que o ministro espera ver mudanças diz respeito à produtividade dos 67 mil médicos que atuam na atenção básica do SUS. Conforme já havia divulgado em agosto, durante audiência pública realizada pela Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados, Barros afirmou que, em 2016, cada médico do sistema de atenção básica realizou, em média, 168 consultas mensais, quando os gestores esperavam que fossem feitas 384 – uma produção 43% menor que a prevista.

Durante a mesma audiência pública, Barros chegou a apresentar dados para sustentar a conclusão ministerial de que o descumprimento da carga horária pelos profissionais seria um dos principais motivos para a baixa produtividade.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Idosos terão atendimento diferenciado no SUS para impedir incapacidade funcional

O artigo Até o fim de 2018, todos vão acessar dados do SUS pelo celular, garante ministro foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-12-13/sus-informatizacao-ubs.html

Açúcar x adoçante: conheça as diferenças para escolher a melhor opção – em Nutrição

Se você já ficou em dúvida na hora de escolher qual ingrediente usar para adoçar suas bebidas e comidas, confira uma comparação entre o açúcar e adoçante para decidir qual manter no cardápio!

Por Caroline Randmer | Foto Shutterstock | Adaptação web Ana Paula Ferreira

Qual vale mais a pena: açúcar ou adoçante? Bianca Vieira de Souza, nutricionista da Estima Nutrição, de São Paulo (SP), compara os dois para você decidir qual você deve manter em seu cardápio

Açúcar

– É um carboidrato simples, composto de glicose e frutose, natural da cana-de-açúcar ou de outros vegetais, que fornece energia.

– Se você não tem nenhum problema de saúde, não é preciso eliminá-lo das preparações — mas dê preferência ao açúcar de coco, ao demerara e ao mascavo.

– Quanto menos refinado, mais vitaminas, minerais e fibras ele tem.

– Ele é o ingrediente mais saboroso das receitas, porém o mais calórico também.

Adoçante

– São pouco calóricos e adoçam de 100 a 500 vezes mais que o açúcar.


– De forma geral, bagunçam o centro regulador da fome no cérebro. Após sua ingestão, o corpo se prepara para receber algo doce e libera insulina para absorver a glicose. Quando o açúcar não chega à corrente sanguínea, a sensação de saciedade acaba alterada, fazendo com que você coma mais.

– Os industrializados, como o aspartame, a sacarina, o ciclamato de sódio e o acessulfame-k, vêm sendo associados ao aumento da pressão arterial e à maior incidência de câncer.

– As versões naturais que encontramos por aí são: maltitol, eritritol, estévia, xilitol e taumatina.

Quer saber mais sobre nutrição? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui

O artigo Açúcar x adoçante: conheça as diferenças para escolher a melhor opção – em Nutrição
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/nutricao/acucar-x-adocante-conheca-as-diferencas-para-escolher-a-melhor-opcao/12258