"Queria que ele dominasse a porra toda", diz Serrado sobre Carlos Eduardo

Veja, "Queria que ele dominasse a porra toda", diz Serrado sobre Carlos Eduardo confira também tudo o que acontece no BBB13.

  • Estevam Avellar/Globo

    Em "Velho Chico", Carlos Eduardo, Marcelo Serrado, se apresenta à cidade como o novo coronel Saruê

    Em “Velho Chico”, Carlos Eduardo, Marcelo Serrado, se apresenta à cidade como o novo coronel Saruê

Marcelo Serrado sempre soube que Carlos Eduardo era o grande vilão de “Velho Chico”. Ele começaria até meio bobão, meio pau-mandado de Afrânio (Antônio Fagundes), mas aos poucos revelaria todo o seu lado sombrio. As mangas compridas do terno preto – figurino adotado nessa reta final da trama – já foram colocadas de fora, mas o ator adianta que vilania pouca será bobagem para o deputado federal nos próximos capítulos.

“Carlos Eduardo vai aprontar  até o final da novela. Começou à sombra do sogro e agora mostrou que é o maior vilão da trama. Matar o Coronel ou alguém dos Sá Ribeiro? Possível. Se antes eu achava que não, agora eu tenho certeza que são enormes as chances (rs). Como também tenho certeza que meu personagem é um sociopata! Esse comportamento tem tudo a ver com a ideia fixa do poder, de ser finalmente o Saruê, título que lhe foi prometido lá atrás pelo Afrânio e agora o deputado está cobrando”, explica Serrado que comemora o papel, um dos papeis mais densos e malvados de sua carreira.

Ao longo dos 30 anos de profissão, o ator admite que fez poucos vilões. O motivo? Nem ele, sabe dizer. “Foram poucos. Menos do que eu gostaria. Quando estava na Record, tive um papel nessa linha da vilania na novela “Vidas Opostas”, de Marcílio Morais, o delegado Dênis Nogueira. Carlos Eduardo foi um grande personagem que eu tive, fora o Clô, de ‘Fina Estampa’, nessa minha volta à Globo. Antagonista é sempre interessante, né? Ele [antagonista] e os personagens engraçados são arquétipos que o público se identifica e vê com um olhar mais apurado”, observa o ator que começou a carreira na emissora carioca, em 1987. Depois de 18 anos, foi para Record, em 2005, e retornou à sua primeira casa justamente para fazer a novela de Aguinaldo Silva, em 2011.

“Eu queria que ele dominasse tudo, que fosse o rei de Grotas de São Francisco”.

Sobre o final que deseja para Carlos Eduardo, Serrado não faz média. Nada de redenção e tampouco um final trágico como castigo pelas maldades ao longo da novela de Benedito Ruy Barbosa. “Eu queria que ele dominasse tudo, que fosse o rei de Grotas de São Francisco. Terminasse como dono da porra toda, virasse o coronel poderoso de toda a região”, assume as gargalhadas o ator que ainda não tem nas mãos os últimos capítulos. 

“Estamos indo gravar o final da novela na Bahia daqui a uma semana. O Luiz [Fernando Carvalho, o diretor] não fala nada. Não sei mesmo se Carlos Eduardo vai morrer. Espero que não!”, brinca o ator que tem ficado um pouco cansado com as cenas que beiram à loucura do deputado nos últimos dias. “Eu não procuro levar muito o personagem para casa. Termina ali no set, eu desligo e acabou, mas dá uma certa exaustãozinha, sim, com tanta entrega, tanta energia. Normal”, completa.

O artigo "Queria que ele dominasse a porra toda", diz Serrado sobre Carlos Eduardo foi originalmente publicado em http://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2016/09/05/queria-que-ele-dominasse-a-porra-toda-diz-serrado-sobre-carlos-eduardo.htm

Deixe uma resposta