No "Bom Dia & Cia", Silvia Abravanel supera broncas do pai e bate Globo

Veja, No "Bom Dia & Cia", Silvia Abravanel supera broncas do pai e bate Globo confira também tudo o que acontece no BBB13.

Nas manhãs da TV, o “Encontro” de Fátima Bernardes disputa ponto a aponto de audiência com o “Bom Dia & Cia”, que completa 25 anos nesta quinta-feira (2). A atração do SBT sobreviveu às mudanças no comportamento das crianças e se consolidou como única opção infantil entre as cinco maiores redes do Brasil –Globo, SBT, Record, Band e RedeTV!.

A concorrência (ou a falta dela) tem beneficiado o programa do SBT. Em julho, mês de férias escolares, o “Bom Dia” venceu ou dividiu a liderança com a Globo pelo menos dez vezes, seja com Fátima, seja com Patricia Poeta, que a substituiu. A atração chega a registrar mais de nove pontos no Ibope em São Paulo, atinge mais de 10 milhões de telespectadores e neste ano tem a melhor média desde 2007.

Eliana, Jackeline Petkovic, Yudi Tamashiro, Priscilla Alcântara e Maisa já estiveram à frente do infantil, mas há três anos Silvia Abravanel, a filha “número 2” de Silvio Santos, é a titular. Ela diz que já ouviu elogios vindos da principal concorrente.

“Uma vez eu ouvi de uma pessoa que foi a um café da manhã na Globo que parabenizou a programação infantil [do SBT], porque conseguimos resgatar tudo: desenho, brincadeira, criança, família. Eles tinham perdido um pouco a mão da fórmula. As outras emissoras viram que realmente era um programa completo, difícil de combater. Por isso deixaram de lado o infantil e foram para a programação infanto-juvenil e adulta. Sorte para mim”, diz a apresentadora ao UOL.

Gabriel Cardoso/SBT
Silvia Abravanel no cenário do “Bom Dia & Cia” Imagem: Gabriel Cardoso/SBT

Mãezona no comando

Pela primeira vez, o “Bom Dia & Cia” tem uma mãe no comando. Aos 48 anos e com duas filhas em casa (Luana, de 20 anos, e Amanda, de 12), Silvia Abravanel sabe o que deve e o que não deve colocar no ar.

“Estou aqui fazendo o papel de mãe, de educadora, de incentivadora. Porque tem aquela criança que vai perder [a gincana], não a deixo se frustrar naquele momento, falo que nem tudo está perdido, é um jogo, uma brincadeira, tem o que ganha e o que perde”, explica.

Silvia se preocupa em levar as brincadeiras de rua e as gincanas clássicas dos tempos de “Bozo” às meninas e aos meninos de hoje, que só se comunicam pela internet. A apresentadora, que é bastante ativa nas redes sociais, reclama que a web tem deixado as crianças mais “frias”.

“Temos muita coisa lúdica, o que não tem mais hoje em dia. Tanto que não me surpreendo que as crianças não saibam o que é Jogo da Memória. Criança deixou de ser criança, né? A internet as afastou um pouco dessa infância saudável, de sair de casa e poder vivenciar, correr no mato, ter contato com a natureza. A criança não precisa sair de casa para falar com o melhor amigo. Ela fala pelo celular. Isso está criando crianças muito frias, muito distantes do que é ser criança”, critica.

Maisa: separação difícil

Reprodução/SBT
Silvia Abravanel ganhou aniversário surpresa de Maisa no “Bom Dia & Cia” Imagem: Reprodução/SBT

Veterinária de formação, Silvia já apresentou “Domingo no Parque”, “Programa Cor de Rosa” e “Casos da Vida Real”, mas sua experiência atrás das câmeras era maior. Dirigiu Celso Portiolli, Carla Perez e o próprio pai, que ofereceu à filha a direção do “Bom Dia & Cia” após um atrito com quem ocupava o cargo. Foi dele a ideia de transformar Maisa na nova Shirley Temple, estrela mirim dos anos 30.

“Não conhecia a Maisa pessoalmente, só a via no programa do seu Raul [Gil, na Band]. Um dia, o Silvio me chamou no camarim: ‘Você conhece a Shirley Temple? Você conhece a Maisa? Amanhã você passa a dirigi-la no ‘Bom Dia e Cia’ às 7h’. Foi uma coisa muito meteórica, como tudo na minha vida. Caí de paraquedas e ali mesmo fiquei”, relembra.

Silvia dirigiu os apresentadores mirins do “Bom Dia” durante dez anos. Ela viu crescer Yudi, Priscilla, Matheus Ueta, Ana Júlia e Maisa. A despedida dela, aliás, é para  a filha de Silvio Santos um dos momentos mais tristes de sua trajetória no programa: “Foi uma separação muito difícil. Tivemos que cortar o cordão umbilical”.

Broncas de Silvio

Lourival Ribeiro/SBT
Patricia e Silvia Abravanel recebem o Troféu Imprensa e posam com o pai, Silvio Santos Imagem: Lourival Ribeiro/SBT

Uma decisão judicial proibindo o trabalho de crianças no “Bom Dia” tornou, por acaso, a então diretora em apresentadora.

“Estava em uma reunião de família, o Leon [Abravanel, diretor de produção] ligou às 19h e perguntou para a Daniela [Beyruti, filha “número 3″ de Silvio e diretora artística do SBT] se eu apresentaria no dia seguinte. Minha mãe não me deu chance de responder: ‘Você vai!'”, recorda.

O trabalho de Silvia tem agradado Silvio Santos, mas ela reclama, com bom humor, que só agora recebe elogios do pai, após muitas broncas e conselhos fortes para orientar o desempenho da filha à frente das câmeras.

“Só agora sim. Ele me levou na rédea curta no começo. Foi bom, porque sou formada em veterinária e tudo que sei de televisão é por ele. Ele foi minha escola, minha faculdade, meu mestre. Os conselhos e as puxadas de rédea que ele dá eu levo ao pé da letra, porque ele é o mestre, o ícone da televisão brasileira. Quem sou eu para falar não?”

O artigo No "Bom Dia & Cia", Silvia Abravanel supera broncas do pai e bate Globo foi originalmente publicado em https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2018/08/02/maezona-do-bom-dia-silvia-abravanel-supera-broncas-do-pai-e-bate-globo.htm

Deixe uma resposta