Erika Januza desabafa após sofrer racismo: "Entristece, mas não me derruba"

Veja, Erika Januza desabafa após sofrer racismo: "Entristece, mas não me derruba" confira também tudo o que acontece no BBB13.

Erika Januza desabafou em seu Instagram nesta segunda-feira (29), após ser vítima de racismo. Segundo a atriz, uma moça postou uma foto sua na rede social, legendada com uma mensagem preconceituosa — a publicação e o perfil da agressora já foram deletados, mas Erika fez print e compartilhou junto com um vídeo sobre o assunto [veja abaixo].

“O fato não é me incomodar especificamente com a moça ou com o post. É por um motivo maior. Eu vejo que quando se ataca um negro pelo simples fato de ser, você atacou todo um grupo. Eu vejo assim. Um amigo me perguntou como eu estava, pois essas coisas mexem muito com o psicológico. Respondi: ‘meu psicológico está calejado’. Sou negra há 30 anos! A cada dia um novo desafio”, declarou.

Erika disse estar cansada de tanta discriminação, não só com ela, mas com outros negros, LGBTs ou outras minorias.

“Só quem passa sabe, só quem ouve, lê, sente um olhar atravessado, sente alguém segurando mais forte a bolsa, te confunde com o funcionário da loja, enfim… são inúmeras as situações que podemos viver em nosso dia a dia. O fato de ser uma atriz ainda me protege um pouco, já que as pessoas me reconhecem, ou gostam de algum trabalho: ‘aquela negra… é atriz’. E aquela doméstica? E aquela gari? E aquela enfermeira? E aquela advogada? Somos pessoas. Merecemos respeito”, discursou.

A atriz falou sobre o fato do brasileiro ser uma mistura de raças e culturas. “Estamos em uma nação onde mais da metade é composta por negros e, com certeza, tem um pouco de nós em todos. Fomos a base do trabalho de construção de muita coisa neste país às custas de muito sofrimento. Um dia ouvi de uma pessoa muito ‘importante’: ‘não dá mais pra limpar o sangue do brasileiro’. É!!! As pessoas dizem coisas assim. E ainda dizem que racismo é ‘mimimi’. Esta doença está aí, latente. Às vezes oculta, mas latente. Eu não abaixo minha cabeça. Me entristece, mas não me derruba. Representatividade! É necessária! E assim incomoda. Mas eu gosto de incomodar! Sigamos, firmes, fortes, corajosos”, completou.

Nao falo disso o tempo todo, pois acho que o respeito é o mínimo que devemos aos nossos semelhantes. Mas hj é um dia diferente, depois de uma postagem de meu amigo @caiopaduan Que me defendeu como sempre e agradeço muito, uma moça resolveu também deixar sua máscara cair e postou uma foto minha em sua rede social dizendo o quanto me odiava, além de fazer um comentário que infelizmente se faz mais presente a cada dia. Está aí nas fotos do meu post. O fato não é me incomodar específicamente com a moça ou com o post. É por um motivo maior. Eu vejo que quando se ataca um negro pelo simples fato de ser, você atacou todo um grupo. EU vejo assim. Um amigo me perguntou como eu estava, pois essas coisa mexem muito com o psicológico. Respondi: meu psicológico está calejado. Sou negra há 30 anos! A cada dia um novo desafio. Nao falo só por mim mas o cansaço é por ver coisas desse tipo todos os dias, com as mais diversas pessoas. Com todos os irmãos, pessoas de bem, homossexuais ou quem quer que seja que sofre algum tipo de preconceito. Só quem passa sabe, só quem ouve, lê, sente um olhar atravessado, sente alguém segurando mais forte a bolsa, te confunde com o funcionário da loja, enfim… são inúmeras as situações que podemos viver em nosso dia a dia. O fato de ser uma atriz ainda me proteje, um pouco, já que as pessoas me reconhecem, ou gostam de algum trabalho: aquela negra… é atriz. E aquela doméstica? E aquela gari? E aquela enfermeira? E aquela Advogada? SOMOS PESSOAS. Merecemos respeito. Estamos em uma nação onde mais da metade é composta por negros e com certeza tem um pouco de nós em todos O sangue em suas veias ou em alguma construção aí pela cidade. Fomos à base do trabalho de construção de muita coisa neste país as custas demuito sofrimento. Um dia ouvi de uma pessoa muito “importante”, não dá mais pra limpar o sangue do brasileiro. É!!! As pessoas dizem coisas assim. E ainda dizem que racismo é Mimimi. Esta doença está aí, latente. Às vezes oculta, mas latente. Eu não baixo minha cabeça. Me entristece, mas não me derruba. Representatividade! É necessária! E assim incomoda. Mas eu gosto de incomodar! Sigamos, firmes, fortes, corajosos.

Uma publicação compartilhada por Erika Januza (@erikajanuza) em

29 de Out, 2018 às 3:48 PDT

O artigo Erika Januza desabafa após sofrer racismo: "Entristece, mas não me derruba" foi originalmente publicado em https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2018/10/29/erika-januza-desabafa-apos-sofrer-racismo-entristece-mas-nao-me-derruba.htm

Deixe uma resposta