Posso treinar mesmo se estiver sentindo dor? – em Pergunte ao especialista

O personal e colunista da CORPO, Chico Salgado, explica quando as dores são comuns no treio e quando é necessário ter acompanhamento profissional para não prejudicar a saúde

*Por Chico Salgado



É comum o treino gerar algum tipo de dor “saudável”

Foto Shutterstock

Posso treinar mesmo se estiver sentindo dor?

A malhação costuma gerar algum tipo de dor “saudável”. Esse desconforto momentâneo é decorrente da inflamação gerada pelo treino, que tem como objetivo recuperar a musculatura e gerar a adaptação que queremos. Toda vez que a dor aparece é pelo processo inflamatório e, por isso, ela deve ser respeitada. 

Existem também as provenientes de algum tipo de lesão, muscular ou articular. Estas devem ser acompanhadas por um médico ou um fisioterapeuta, pois podem se agravar com o treino e se tornar crônicas, atrapalhando a rotina de exercícios da aluna.

*Chico Salgado é Personal Fighter e líder de uma das equipes mais disputadas do Brasil, a Chico Salgado Team. Treina famosas como Sabrina Sato, Grazi Massafera, Carolina Dieckmann, Bruna Marquezine e Giovanna Ewbank.

Mande suas dúvidas para pergunteaopersonal@escala.com.br!

Quer saber mais sobre fitness? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui!

O artigo Posso treinar mesmo se estiver sentindo dor? – em Pergunte ao especialista
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/blogs/pergunte-ao-especialista/posso-treinar-mesmo-se-estiver-sentindo-dor/11384

Aprenda a fazer creme de avelã de 105 calorias (e sem lactose!) – em Receitas Light

Com apenas 105 calorias, este creme de avelã não tem glúten nem traz traços de leite – para você comer sem se preocupar com a alergia e com a dieta!

Por Michele Costa | Adaptação Ana Paula Ferreira



O creme de avelã sem glúten e lactose fica pronto em 30 minutos

Foto Marcelo Resende

Se você adora chocolate, mas é intolerante à lactose, a receita a seguir vai conquistar o seu coração. O creme de avelã não tem glúten e também não traz traços de leite – para você comer sem se preocupar com a alergia e com a dieta! 

Calorias: 105 kcal
Rendimento: 7 porções (colher de sopa)
Tempo de preparo: 30 min.

Ingredientes

1 xíc. (chá) de sementes de avelãs
1 xíc. (chá) de chocolate 70% cacau
1 col. (sopa) de biomassa de banana verde (opcional)
1 col. (sopa) de óleo de coco
2 col. (sopa) de cacau em pó
1col. (sopa) de açúcar de coco ou mascavo
1 col. (chá) de extrato de baunilha

Modo de preparo

Despeje as avelãs em uma fôrma e leve ao forno para torrá-las. Após torrá-las, despeje-as em um pano limpo e esfregue-as com o pano, para retirar as casquinhas. Despeje as sementes limpas em um liquidificador, adicione o óleo de coco e bata até formar uma pasta homogênea e reserve. Em seguida, derreta o chocolate e a biomassa em banho-maria e adicione ao liquidificador juntamente com os demais ingredientes. Bata muito bem até que misture por completo e reserve na geladeira por 20 minutos. Sirva em seguida.

O artigo Aprenda a fazer creme de avelã de 105 calorias (e sem lactose!) – em Receitas Light
foi originalmente publicado em http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/dieta/receitas-light/aprenda-a-fazer-creme-de-avela-de-105-calorias-e-sem-lactose/11383

Campanha para exclarecer métodos contraceptivos começou

Veja a matéria completa sobre Campanha para exclarecer métodos contraceptivos começou e fique por dentro de como cuidar da sua saúde.


Campanha incentiva que decisão por quais métodos devem ser usados deve ser feita a dois

Pixabay

Para promover o diálogo entre os médicos, as pacientes e os seus parceiros para a escolha do método contraceptivo mais indicado de acordo com cada perfil, foi criada nesta quinta-feira (23) a campanha #VamosDecidirJuntos, uma iniciativa da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

Leia também: Como anos de pílula anticoncepcional me trouxeram depressão e ataques de pânico

A federação acredita que o diálogo trará mais segurança e informações claras para a mulher que utiliza métodos  contraceptivos
, aumentando o nível de eficácia e reduzindo efeitos colaterais.

Segundo o ginecologista e presidente da Febrasgo, César Eduardo Fernandes, a campanha pretende levar a discussão também para o casal e incentivar o diálogo aberto e transparente sobre a contracepção. “Os homens costumam achar que esse é um problema feminino e não é. É uma decisão que deve ser do casal, por isso precisamos conscientizá-lo para que esteja junto”, frisou. Para ele, o médico é importante para dar esclarecimentos quanto à medicação, embora a escolha seja somente da mulher. “A paciente é soberana em sua decisão, o médico é apenas o consultor”.

Leia também: Campanha de vacinação contra gripe será em abril; veja se você pode participar

Estimativas indicam que, no Brasil, 22,1% das mulheres adotam a pílula anticoncepcional como método para prevenir a gravidez, seguindo-se o preservativo masculino (12,9%), injeção contraceptiva (3,5%) e dispositivo intrauterino – DIU (1,5%). Os métodos tradicionais (comportamentais), como a tabelinha e o coito interrompido somam 2,4%.

Outro ponto que a campanha deseja atingir é a conscientização sobre quais são os métodos contraceptivos existente e como funcionam. “Lamentavelmente, somos obrigados a fazer uma consulta curta e não é possível falar sobre tudo, então a campanha vai alavancar a divulgação [de todos os métodos]”, declara o ginecologista.

A campanha conta com um portal (https://www.vamosdecidirjuntos.com.br/) com informações seguras e baseadas em orientações médicas, vídeos com especialistas, textos e artigos sobre o tema. Há ainda um espaço para esclarecimento de dúvidas sobre os métodos contraceptivos. O objetivo é ampliar a discussão sobre a contracepção, os métodos mais indicados em cada perfil e cada momento da vida. A ideia é estimular a mulher a fazer uma reflexão sobre sua vida sexual, seu momento de vida e sua saúde para que leve os questionamentos ao médico.

Leia também: Câncer raro mata nove pessoas com proteses de silicone

O artigo Campanha para exclarecer métodos contraceptivos começou foi originalmente publicado em http://saude.ig.com.br/saude.ig.com.br/2017-03-24/campanha-contraceptivos.html